Notícias

2,3 milhões de testes de Covid-19 devem vencer em maio

Documento com a informação foi enviado pelo MP a pedido do senador governista Ciro Nogueira

Alexandre Bazzan 14/05/2021 • 17:56 - Atualizado em 14/05/2021 • 18:10
O senador Ciro Nogueira
O senador Ciro Nogueira
Agência Senado

Um documento da CPI da Pandemia mostra que ao menos 2,3 milhões de testes de Covid-19 devem vencer neste mês de maio antes de serem usados. As informações foram enviadas pela Procuradoria da República do Distrito Federal a pedido do senador Ciro Nogueira (PP-PI).

Nogueira é aliado do Planalto e faz parte da tropa de choque que defende o governo na CPI. No requerimento, o parlamentar solicitou às "27 Procuradorias-Gerais de Justiça (dos Estados e do Distrito Federal) e ao Ministério Público Federal o envio, em PDF, de cópia integral de todos os inquéritos ou investigações em qualquer fase, relativos à aplicação de todos os recursos federais destinados aos estados, DF e municípios de até 200 mil habitantes para o combate à Covid-19, bem como de todos os bancos de dados criados pelos respectivos órgãos policiais, relativos à mesma matéria".

Desde o começo da CPI, os governistas tentam incluir estados e municípios no foco da investigação e esse pedido de documentos específico acaba dando mais munição para os oposicionistas.

O texto mostra respostas do próprio Ministério da Saúde ao MPF em um inquérito aberto a pedido do senador Fabiano Contarato (Rede-ES) sobre a distribuição de testes em todo o Brasil.

"Analisando o cenário atual, o Ministério da Saúde possui no Almoxarifado Central aproximadamente 4,3 milhões de testes moleculares (RT-qPCR) com vencimento para maio de 2021, uma rede laboratorial com capacidade instalada de processamento de aproximadamente 1,5 milhões exames/mês e uma estimativa de perda por validade de pelo menos 2,3 milhões de testes moleculares (RT-qPCR)", afirma o Ministério.

Em outra parte do arquivo, o Ministério diz que iniciou em 2020 a contratação de testes e equipamentos para extração automatizada para 100% das Redes Nacionais de Laboratórios de Saúde Pública e assim acelerar as testagens no país. A pasta, porém, esclarece que "em meados de setembro de 2020, o contrato firmado foi cancelado após o recebimento de parte da contratação, 10 equipamentos e 3 milhões de testes de extração".

A deputada Bia Kicis (PSL-DF) publicou em 8 de maio um vídeo com o ministro Marcelo Queiroga em que falava sobre o aumento da testagem: "Estou aqui com o ministro da Saúde, o doutor Marcelo Queiroga, e ele tem uma boa notícia para o povo brasileiro".

A ampliação dos diagnósticos é defendida por Queiroga desde que ele assumiu a pasta, em 23 de março. No vídeo, o ministro responde à deputada: "Ela trouxe uma sugestão excelente que é ampliar a testagem da população contra a Covid".  

  • Marcelo Queiroga