Boa Tarde, São Paulo

Extrema pobreza cresce 30% em São Paulo

Mais de 619 mil famílias estão vivem em situação de extrema pobreza na cidade

Da Redação, com Boa Tarde, São Paulo 24/05/2022 • 15:48 - Atualizado em 24/05/2022 • 15:50

O número de pessoas em situação de miséria na cidade de São Paulo cresceu 30,82% dentro de um ano, segundo dados da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social. As pessoas na condição de extrema pobreza vivem com menos de R$ 105,00 por mês. 

O valor é definido por decreto pelo presidente da República como teto do Cadastro Único do governo federal para distribuir demandas de programas sociais. A última atualização das faixas de renda foi feita em março.

Entre 2021 e 2022, mais de 619 mil famílias estão vivem em situação de extrema pobreza na cidade de São Paulo, de acordo com os dados do CadÚnico. 

Em janeiro de 2021, 473.814 famílias estavam nesta situação e, neste ano, são 619.869. O aumento é de 30,82% em um ano. 

A Zona Sul da cidade é onde se concentram mais famílias na extrema pobreza.

Medida imediata

O diretor da FGV Social, Mercelo Neri, afirma que o Estado pode alterar a classificação com os recursos que dispõe, em uma solução imediata de curto prazo. 

“A gente tem uma estrutura no Brasil de cadastro social único, programas federais onde você pode acoplar estaduais e municipais de combate à pobreza. Com R$13,20, por mês, por cidadão de São Paulo, seria suficiente para levar todos a uma situação de pobreza de R$ 300,00 pessoa/mês. Então, está ao alcance pelo menos aliviar imediatamente a pobreza com os recursos que São Paulo dispõe e com a estrutura que já existe”, aponta.