Notícias

Adolescente é morto por falsos entregadores na zona sul de SP

Rapaz de 15 anos teria reagido a tentativa de assalto e acabou sendo baleado no Capão Redondo

Leonardo ZvarickThais Dias 20/05/2022 • 08:25 - Atualizado em 21/05/2022 • 13:55

Um adolescente de 15 anos morreu baleado por falsos entregadores na noite desta quinta-feira (19) durante uma tentativa de assalto em um ponto de ônibus no Capão Redondo, zona sul de São Paulo

O crime aconteceu por volta das 23h. O rapaz, identificado como Victor Santos de Jesus, aguardava pelo transporte quando foi abordado por dois homens que chegaram em uma moto, carregando uma mochila de aplicativo de entrega. 

Segundo testemunhas, o jovem teria reagido e acabou sendo baleado, morrendo no local. Os dois criminosos fugiram. 

Outro crime no mesmo bairro

Outra tentativa de assalto aconteceu horas depois em um posto de combustíveis no mesmo bairro. A cerca de duas quadras dali, dois homens – que também chegaram em uma moto carregando uma mochila de aplicativo de entrega – abordaram um policial militar à paisana que estava a caminho do trabalho por volta das 5h. 

Os criminosos renderam o PM e começaram a vasculhar sua bolsa, onde estava a farda que ele vestiria no trabalho. Neste momento, uma viatura passou pela rua, os agentes perceberam a movimentação e começaram a disparar contra os assaltantes. 

O policial que estava sendo assaltado também sacou a arma e atirou. Os dois criminosos foram baleados e morreram. Os investigadores apuram agora se eles são os mesmos bandidos que mataram Victor. 

Caso Renan e Operação Sufoco

Os crimes cometidos por falsos entregadores em São Paulo ganharam ainda mais repercussão no último mês de abril com o assassinato de Renan Silva Loureiro, de 21 anos, jovem que foi baleado por um falso entregador na região do Jabaquara, na zona sul.

Vídeo: suspeito de matar Renan é preso em SP

Depois do caso, o governador do estado, Rodrigo Garcia (PSDB), e o prefeito da capital, Ricardo Nunes (MDB), anunciaram a Operação Sufoco, megaoperação das polícias e das forças de segurança focada em combater roubos e furtos de celulares cometidos por falsos entregadores e também golpes e sequestros do Pix

“Eu quero deixar um aviso muito claro a esses bandidos, que eles mudem de profissão ou mudem de estado, porque a polícia vai atrás de cada um deles. Quem cometer crime aqui em São Paulo vai ser preso. O bandido que levantar arma vai levar bala da polícia que, dentro dos limites da lei, vai agir com muito rigor em relação à criminalidade”, disse Garcia na ocasião.

Vídeo: SP anuncia operação contra falsos entregadores

De acordo com o anúncio, a megaoperação contará com 5 mil agentes. "Pedimos a compreensão da população e iremos dobrar o número de policiais nas ruas, com patrulhamento terrestre e aéreo para combater a criminalidade", completou o governador.

Para realizar a fiscalização de motoqueiros, foi firmado ainda um convênio entre o governo e as empresas de delivery para compartilhamento de dados dos aplicativos com o Detecta, sistema inteligente composto pelo monitoramento de câmeras combinado com o maior banco de dados de informações policiais da América Latina.