Notícias

Sobe para 25 número de mortos em ação policial no Rio

Moradora, identificada como Gabriele da Cunha Ferreira, de 41 anos, foi atingida e morreu no meio da rua

Da Redação, com BandNews TV 24/05/2022 • 09:24 - Atualizado em 25/05/2022 • 17:10

Com a confirmação da morte de um adolescente, que ainda não teve a identidade confirmada pela polícia, nesta quarta-feira (25), subiu para 25 o número de pessoas mortas durante uma operação policial na terça-feira (24), na região da Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro, segundo apurações da Band. Três pessoas baleadas que estavam internadas morreram nesta quarta.

Entre as vítimas, uma moradora do Complexo da Penha foi identificada como Gabriele da Cunha Ferreira, 41 anos. Ela foi morta na entrada da Chatuba, ao lado da Vila Cruzeiro, na parte baixa do complexo.

A polícia afirma que não atuava no local na hora em que ela foi atingida e que os tiros teriam partido de bandidos. Gabrielle deixa um filho de 17 anos.

Suspeitos mortos

A PM afirma que 21 das outras pessoas mortas são suspeitas de integrarem a facção criminosa Comando Vermelho. As identidades da maioria das vítimas ainda não foi divulgada. Os números são atualizados por hospitais da região. 

Segundo a polícia, o complexo virou abrigo de traficantes das regiões Norte e Nordeste do país. Um dos mortos é Roque de Castro Pinto Junior, que seria do Amazonas, e tinha um mandado de prisão em aberto contra ele e já havia sido condenado por crimes ligados ao tráfico de drogas.

Entre os feridos está um policial civil, baleado no rosto enquanto participava de uma perícia na região. 

Os confrontos se concentravam na parte alta da Vila Cruzeiro, perto de uma área de mata. Moradores relataram que um intenso tiroteio começou na região pouco antes das 4 horas. “O despertador do pobre começou 3h40 na Penha”, ironizou um morador. 

Mais tarde, outros tiroteios ocorreram ao longo do dia em momentos diferentes. O Bope (Batalhão de Operações Especiais) da PM reforçou a presença na região após os novos confrontos. 

Não houve ocupação da comunidade e a operação terminou no fim da tarde de quarta.

Aulas canceladas

A operação paralisou as atividades em 11 escolas municipais. Duas unidades de saúde de atenção primária funcionam apenas com atividades internas.

A ação da PM, com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Federal (PF), foi divulgada como uma operação para busca por chefes do tráfico de drogas do Comando Vermelho que estariam escondidos na Vila Cruzeiro, segundo denúncia recebida pelas forças policiais.

De acordo com o setor de inteligência da PM, a facção também esconde no local traficantes de outros estados. Criminosos do Pará, Bahia, Amazonas e Alagoas são procurados. Até o momento, sete fuzis foram apreendidos. 

“Derruba, derruba”

Na última terça-feira (17), um helicóptero foi alvo de tiros ao passar pelo Complexo da Penha. Vídeos nas redes sociais mostram que a aeronave voava baixo e circulou algumas vezes pela região. Em um deles, um criminoso diz “derruba, derruba", enquanto outros bandidos, supostamente, atiravam.

No vídeo, é possível ouvir alguém dizendo: “Se passar na reta vai tomar hein (...). Derruba, derruba, derruba”.