Notícias

Supermercado lamenta tumulto de clientes em disputa por cebolas em promoção

Vídeo mostra euforia de pessoas por cebola a R$ 0,99 o quilo no DF

Da Redação, com Bora Brasil 03/05/2022 • 08:34 - Atualizado em 03/05/2022 • 08:35

Um vídeo que viralizou nas redes sociais no domingo (1º) mostra consumidores brigando por cebolas que estavam em promoção em um supermercado da rede Atacadão Dia a Dia, na cidade de Planaltina, no Distrito Federal. Nas imagens, é possível ver as pessoas aglomeradas, "atacando" o produto exposto a R$ 0,99 o quilo (veja vídeo acima).

O preço médio do quilo da cebola, em Brasília, é de R$ 4,99 o quilo. Por causa da oferta, alguns consumidores encheram os carrinhos. A promoção foi feita no dia de inauguração do supermercado.

Em nota, o supermercado disse que lamenta a situação causada pelas "ofertas especiais" e classificou como "triste ocorrido exposto nas imagens que circulam nas redes sociais". Segundo a empresa, "nenhuma ação promocional justifica a violência".

Segundo o índice de preços da Ceasa-DF, o produto teve alta de 20,71% em abril, com relação a março. O saco com 20 quilos custava, na segunda-feira (2), R$ 120,00. Sendo assim, o quilo sai por R$ 6,00.

Inflação

De acordo com o levantamento da inflação para o mês de abril, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os alimentos ficaram 15% mais caros em média. A alta foi registrada de 2021 até o terceiro trimestre deste ano.

Tubérculos e raízes, como o aipim e a abobrinha, registraram uma alta de 68% nos últimos 12 meses, sendo 46,75% somente neste ano de 2022.

Cenoura e tomate apresentaram um encarecimento ainda maior, de 195% e 117,49% neste último ano. 

A batata registrou um aumento de 38,68%, enquanto o preço da laranja-baía cresceu 25,4%, e o do mamão 40,33%.

Outro grupo afetado foi as hortaliças e as verduras, que subiram 35,75%. O repolho ficou 60% mais caro entre o ano passado e hoje, enquanto o preço da alface cresceu 46,22%.

Embora mais baixa, alimentos processados como o macarrão e a farinha também apresentaram alta nesse último ano, com um aumento de 15,04% e 19,82%, respectivamente.

O óleo de soja, registrou uma alta de 30%. Até mesmo o fubá cresceu 29%. Os açucares também aumentaram por volta dos 37%.