Notícias

Carnaval de rua no Rio em 2022 é cancelado pela prefeitura

Eduardo Paes (PSD) fez anúncio após reunião com associação de blocos; desfile de escolas de samba está mantido

Gustavo Sleman, da BandNews FM Rio, e Marcos Lacerda, do BandNews TV 04/01/2022 • 18:39 - Atualizado em 04/01/2022 • 19:13

A Prefeitura do Rio de Janeiro cancelou o carnaval de rua no município para o ano de 2022. O anúncio foi feito nesta terça-feira (4), durante live do prefeito Eduardo Paes (PSD) nas redes sociais logo depois da reunião com a associação que organiza os blocos de rua do Rio.

Com isso, a cidade não vai contar os blocos carnavalescos na folia pelo segundo ano seguido, por causa da pandemia de coronavírus.

Na live, que contou com a participação do secretário municipal de Saúde Daniel Soranz e da presidente da Riotur, Daniela Maia, Paes confirmou a realização dos desfiles das escolas de samba na Marques de Sapucaí, já que, segundo ele, a área do sambódromo permite formas de controle sanitário, como acontece em estádios de futebol.

Segundo Paes, a medida foi tomada por conta das grandes dificuldades que englobariam o controle e vigilância sanitária de participantes na festa, que tradicionalmente toma diversas ruas do Centro e da Zona Sul do município.

O cancelamento da festa nas ruas acontece por conta do aumento de casos de Covid-19 na capital fluminense, principalmente com a disseminação da variante ômicron nas últimas semanas - foram registradas 3.938 novas infecções em 24 horas registradas na última segunda (3), o maior índice desde 24 de setembro de 2021. A prefeitura havia alegado o pico por conta de “casos represados” no sistema.

No vídeo, o prefeito confirmou que a Ambev, patrocinadora do Carnaval de rua no Rio, questionou a Prefeitura dias atrás sobre a confirmação ou não do calendário. Ainda de acordo com o político, foi sugerida a uma cervejaria e às associações a ideia que fossem realizadas festas gratuitas com os blocos em três pontos estratégicos, como o Parque Olímpico. 

O objetivo seria estabelecer uma forma de ter um controle maior, como a exigência do passaporte vacinal. A alternativa, no entanto, não foi bem aceita inicialmente, já que os blocos alegaram possuírem uma relação histórica com seus bairros e regiões. 

Uma nova reunião deve ser realizada na próxima sexta-feira (7) para analisar contrapropostas.

Salvador já cancelou o carnaval de rua neste ano, mas em Recife, Rio de Janeiro e São Paulo ainda não definiram se vai haver ou não a festa este ano. A prefeitura da capital paulista estuda liberar só os desfiles de escolas de samba no sambódromo do Anhembi.