Notícias

Cúpula dos Brics: Bolsonaro reitera diálogo do Brasil com economias emergentes

Em discurso aos líderes dos Brics, Bolsonaro defendeu um exercício diplomático do Brasil para produzir prosperidade e paz

Édrian Santos 23/06/2022 • 09:41 - Atualizado em 23/06/2022 • 11:58

Em discurso na 14ª Cúpula dos Brics, bloco econômico formado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, o presidente Jair Bolsonaro (PL) reiterou a manutenção de “diálogo produtivo” entre as principais economias emergentes do mundo. O chefe do Executivo brasileiro destacou que a política externa brasileira visa à prosperidade e paz.

“Em meu governo, venho orientando a política externa brasileira em prol do desenvolvimento socioeconômico do Brasil e de nossos parceiros. É preciso estar atento para que o exercício diplomático esteja sempre com foco no objetivo maior de produzir prosperidade e paz”, discursou Bolsonaro.

Sem novidades sobre relações entre os países e até mesmo a respeito da crise mundial decorrente da guerra na Ucrânia, o discurso de Bolsonaro teve um tom diplomático entre as nações do bloco. Segundo ele, todas as partes envolvidas têm ganhos nos Brics por “representar um fator de estabilidade e prosperidade”.

“Os Brics, além de representar um fator de estabilidade e prosperidade no cenário internacional, deve contribuir para a geração de emprego e renda e para o bem-estar de nossas populações”, continuou o presidente.

A 14ª Cúpula dos Brics, presidida pelo presidente Xi Jinping, da China, acontece de forma virtual nesta quinta-feira (23). Quem também participa do evento é o presidente Vladimir Putin, da Rússia, pela primeira vez em um evento com líderes das maiores economias emergentes desde o início da guerra na Ucrânia.