Notícias

Janssen adia envio de vacinas que chegariam ao Brasil na terça

Ao todo, 3 milhões de vacinas contra a Covid-19 seriam enviadas; Ministério da Saúde quer confirmar envio para quarta-feira (16)

Da Redação, com BandNews TV 14/06/2021 • 12:58 - Atualizado em 14/06/2021 • 16:26

A entrega no Brasil de 3 milhões de doses de vacinas da Janssen contra o novo coronavírus, prevista para acontecer nesta terça-feira (15), não irá mais ocorrer. As informações são da BandNews TV.

A suspensão foi confirmada pela reportagem junto à assessoria do Ministério da Saúde. Por enquanto, não foi comunicado o motivo do cancelamento provisório, informado pela própria Janssen ao governo federal.

Por enquanto, não está confirmada uma nova data para entrega. Em nota, o Ministério da Saúde diz ainda que “aguarda confirmação da data por parte do laboratório, mas a expectativa é de que as doses cheguem ainda esta semana ao país em três remessas”. Fontes do Ministério da Saúde informaram à BandNews TV que as vacinas poderiam chegar já na quarta-feira (16). 

No Twitter, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não comentou sobre o adiamento e reafirmou que “o Brasil deverá receber 3 milhões de doses da vacina da Janssen até esta terça”.

A vacina da Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson, é aplicada em dose única. Segundo o Ministério da Saúde, ela assegura 85% de eficácia nos casos mais severos da doença.

A remessa chegaria ao País próxima do fim do prazo de validade, de 27 de junho. Por isso, seria distribuída originalmente apenas para capitais. Quando chegar, o imunizante deve começar a ser distribuído aos estados em 48 horas. 

Entretanto, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) seguiu os protocolos usados pelos EUA e aprovou extensão do prazo de validade da vacina Jansen (Johnson & Johnson) Covid-19 de três (3) para quatro meses e meio (4,5), sob condições de armazenamento de 2° a 8° C. Desta forma, o fármaco seria tecnicamente funcional até 8 de agosto.

A vacina da Janssen contra o coronavírus foi aprovada para uso emergencial contra a Covid-19 em março. O imunizante apresenta taxa de eficácia global contra o coronavírus de 66,9% para casos moderados e 76,7% para casos graves em adultos e é aplicado em dose única. 

Produzida pelo braço farmacêutico da Johnson & Johnson, cada dose custou aproximadamente US$ 10. O ministro da Saúde informou ainda que houve um desconto de 25% no valor dos imunizantes e que o pagamento acontecerá apenas pelas doses, de fato, aplicadas. 

  • Janssen
  • Vacinação
  • Covid-19
  • Brasil