Jornal da Band

Hacker muda de lado e ajuda FBI a enganar criminosos em 17 países

Operação levou 800 pessoas para cadeia; mensagens no Brasil foram interceptadas

Da Redação, com Jornal da Band 09/06/2021 • 19:41 - Atualizado em 09/06/2021 • 19:50

Um hacker que trocou de lado ajudou o FBI a desmontar o maior esquema internacional de tráfico de drogas já descoberto pelas polícias de 17 países. Os criminosos brasileiros também morderam a isca. As informações são do Jornal da Band.

A ação contra o crime organizado global teve investimento na inteligência e na tecnologia. Cerca de 12 mil celulares usados por criminosos eram monitorados pelas autoridades dos Estados Unidos.

Os números impressionam: 27 milhões de mensagem em 45 idiomas, trocadas em quase 100 países. Entre eles, o Brasil. A operação levou 800 pessoas para a cadeia e apreendeu toneladas de drogas.

Tudo isso só foi possível porque o FBI conseguiu enganar as quadrilhas, que usam plataformas criptografadas para se comunicar e planejar crimes como tráfico, lavagem de dinheiro, sequestros e até assassinatos. Toda a comunicação ia direto para os policiais, sem que os criminosos suspeitassem.

A ideia surgiu em 2018, quando o desenvolvedor de uma plataforma clandestina foi preso pelo FBI. Em troca de uma redução de pena, o hacker passou a trabalhar para as autoridades e deu total acesso ao que era transmitido no sistema para a polícia.

A plataforma era o Anom, que, ao longo dos anos, passou a ser cada vez mais utilizada por criminosos com a promessa de transformar o celular em um aparelho capaz de trocar mensagens seguras e criptografadas, dificultando o rastreio.

Um documento da Justiça dos EUA mostra parte do resultado da interceptação dessas comunicações: centenas de milhares de euros e dólares apreendidos, além de toneladas e mais toneladas de cocaína – que é enviada principalmente de portos brasileiros para a Europa.

  • Jornal da Band
  • hacker
  • FBi
  • tráfico de drogas