Jornal da Band

Cinco bairros de Maceió podem sumir do mapa com o colapso de mina

Mais de 60 mil pessoas já tiveram que deixar suas casas. O medo na região é permanente.

Por Ramon Ferraz

Topo

Cinco bairros de Maceió podem sumir do mapa com o colapso de uma mina que está perto de desabar: Mutange, Bom Parto, Bebedouro, Pinheiro e Farol são as localidades ameaçadas na capital de Alagoas. De 2018 pra cá, mais de 60 mil pessoas já tiveram que deixar suas casas nesses bairros. O medo na região é permanente.

Bairros inteiros esvaziados que ficaram parecendo cidades-fantasma. O risco iminente de desabamento é de uma mina da Braskem, que explora o sal-gema, que é usado na fabricação de soda cáustica e PVC.

O mineral fica a uma profundidade de cerca de mil metros. Ao longo de décadas de mineração, várias cavernas foram abertas sob a terra, o que causou a instabilidade do solo.

Em 2018, apareceram as primeiras rachaduras nos bairros próximos à mina. Um forte tremor de terra piorou a situação, abrindo crateras, afundando regiões inteiras e provocando danos em milhares de imóveis.

Só um ano depois que o serviço geológico do governo federal confirmou que a instabilidade no solo foi causada pela mineração feita de forma inadequada. De lá pra cá, quase 15 mil imóveis precisaram ser desocupados, prejudicando 55 mil pessoas.

Nessa semana, com o alerta da Defesa Civil e novos tremores de terra, a área de realocação foi expandida, e a Justiça autorizou o uso da polícia para retirar moradores que resistam a sair. Um hospital também foi esvaziado. A prefeitura de Maceió decretou situação de emergência e o governo federal montou uma comissão para investigar o caso.

A Braskem afirma que começou o fechamento da mina com preenchimento com areia e cimento, e que acompanha de perto a situação. Só em novembro, foram cinco tremores de terra na região.

Receba as principais notícias e vídeos da Band via WhatsApp; veja passo a passo

Tópicos relacionados