Jornal da Band

Colombiano encontra assassino de filha no Brasil após 26 anos de buscas

Nancy Mariana Mestre foi morta em 1994 pelo então namorado, Jaime Cormane, que vive com outro homem em MG

Luciano Dias, do Jornal da Band 06/12/2021 • 20:06 - Atualizado em 07/12/2021 • 07:04

Martín Mestre, de 79 anos, nunca desistiu de procurar pelo assassino da filha, Nancy Mariana.

A jovem, que tinha 18 anos, saiu de casa com o então namorado, Jaime Cormane, e não voltou mais. Ela foi assassinada em janeiro de 1994, na cidade colombiana de Barranquilla.

Dois anos depois, Jaime foi condenado a 27 anos de prisão por assassinato e estupro, mas a pena nunca foi cumprida porque ele desapareceu.

As autoridades colombianas não localizaram o assassino, mas Martín queria justiça: fez um curso de investigação e usou quatro perfis falsos em uma rede social para rastrear Jaime.

Em janeiro de 2020, quase três décadas depois do crime, Jaime foi achado em Belo Horizonte. Pela internet, o pai de Nancy encontrou pistas e descobriu que morava na capital mineira. Com documentos falsos, ele se casou, teve filhos e construiu uma nova vida.

A Interpol descobriu que o assassino de Nancy estava usando o nome de Henrique dos Santos Abdala. Em 2020, Jaime chegou a ficar preso preventivamente por nove meses em um presídio de Contagem (MG), mas um pedido de extradição para a Colômbia foi negado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em agosto do ano passado.

Pela lei brasileira, o crime prescreveu em 2016. Jaime foi solto.

Atualmente, ele estaria trabalhando em uma lavanderia na região norte de Belo Horizonte. A reportagem tentou entrar em contato, mas ninguém no estabelecimento atendeu.

“No direito brasileiro, estes crimes estão prescritos. No direito colombiano, prescrevem em 2023”, argumenta Paulo Crossara, especialista em direito penal.

“Houve uma discussão: como ele cometeu novos crimes, a reincidência interrompe o prazo da prescrição. Só que ele não chegou a ser processado por estes crimes, que seria a falsidade ideológica e o uso de documentos falsos”, completou.