Jornal da Band

"Troia das favelas": supostas tocaias da polícia em comunidades do Rio são investigadas

Moradores denunciam que os policiais invadem casas e, escondidos, atiram em criminosos

Fernando David, do Jornal da Band 23/07/2021 • 21:43 - Atualizado em 23/07/2021 • 21:46

Defensores públicos do Rio de Janeiro estão denunciando uma prática de abuso policial em algumas ações da Polícia Militar em favelas da cidade.

Foi escondido dentro de um enorme cavalo que o exército grego conseguiu entrar na lendária cidade de troia e vencer uma guerra que durou quase um século. Quase 3.000 anos depois, uma estratégia parecida pode estar sendo adotada pela PM do Rio: a Troia das favelas.

Moradores denunciam que os policiais invadem casas e, escondidos, atiram em criminosos. Às vezes, moradores acabam atingidos.

Um relatório produzido com base em denúncias recebidas pela ouvidoria da Defensoria Pública aponta que a troia - prática que é ilegal - vem acontecendo em cerca de 80% das comunidades.

“Desde 2018, isso já figura entre os relatos feitos por lideranças e moradores de favelas à Defensoria. É cada vez maior o número de pessoas reclamando desse tipo de prática”, diz o ouvidor Guilherme Pimentel.

O comando da PM manifestou, em nota, total intolerância a desvios de conduto e excessos por parte de uma minoria absoluta dos seus agentes.

O Ministério Público abriu um inquérito para investigar as operações policiais durante a pandemia, que só podem ser realizadas em casos excepcionais desde o ano passado.

  • polícia militar
  • rio de janeiro
  • favelas