Jornal da Band

Talibã dá ultimato para tropas estrangeiras deixarem Afeganistão até 31 de agosto

Ao menos 20 pessoas já morreram na região desde o que grupo radical reassumiu o poder, há uma semana

Eduardo Barão, do Jornal da Band 23/08/2021 • 20:24 - Atualizado em 23/08/2021 • 20:55

O Talibã deu um ultimato para todas as tropas estrangeiras que estão no Afeganistão para que deixem o país até o próximo dia 31 de agosto.

Tiros foram disparados do lado de fora do aeroporto da capital Cabul, onde uma multidão aguarda um avião para sair do país. Um soldado afegão foi atingido e não resistiu, outras três pessoas ficaram feridos. Ao menos 20 foram mortos na região desde que o Talibã assumiu o poder.

Muitos afegãos que conseguiram chegar ao aeroporto não sabem o que vai acontecer e aguardam para embarcar nos poucos voos que ainda aterrissam. Milhares caem no chão por exaustão, sem comida ou água.

O Talibã continua tentando dispersar a multidão com tiros e agressões.

Em incontáveis tumultos, famílias foram separadas. Rostos de crianças desaparecidas já ocupam os muros.

Quem consegue passar dos muros, vive num espaço apelidado de “purgatório”. Precisam comprovar visto ou ligação com algum país para embarcar.

Nas fronteiras terrestres, países vizinhos tentam restringir o acesso. O Paquistão já abriga quase um 1,5 milhão de pessoas. Na Síria, o governo está construindo um muro de 40 quilômetros na fronteira com a Turquia para evitar a passagem dos que fogem do Talibã.

Uma reunião de emergência do G7 foi convocada para essa terça-feira (24). Em pauta, a prorrogação da data de saída das tropas americanas e das forças de coalizão marcada para o dia 31 de agosto. O Talibã já avisou que não vai aceitar postergar o prazo.

A popularidade do presidente Joe Biden segue despencando nos Estados Unidos: menos de 50% aprovam o governo desde a saída atabalhoada dos soldados no Afeganistão. Entre as críticas, todo o arsenal que foi deixado para trás e agora está em poder do Talibã como rifles, munição e até helicópteros e aviões.

Mas ainda há resistência no país. Moradores de uma província há cerca de 150 quilômetros de Cabul, chamada Panjshir Valley, seguem lutando contra a invasão do Talibã. É a única no país que ainda não foi tomada pelo grupo extremista.

E nas recordações que vamos lembrar nos próximos anos com certeza estará a mãe afegã, que deu à uma menina dentro de um avião militar dos Estados Unidos, depois de fugir do Afeganistão. O piloto reduziu a altitude da aeronave para diminuir a pressão a bordo. Assim que o avião pousou numa base na Alemanha a bebe e a mãe foram levados para um centro médico. As duas passam bem.