Notícias

MPF dá 48 horas para PRF explicar morte de homem em viatura em Sergipe

Genivaldo de Jesus Santos, 38, morreu por asfixia, segundo laudo do IML

Da Redação, com Bora Brasil e BandNews FM 26/05/2022 • 16:13 - Atualizado em 26/05/2022 • 16:25

O Ministério Público Federal (MPF) deu prazo de 48 horas para que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) explique a morte de um homem colocado no porta-malas de uma viatura, em Sergipe, nessa quarta-feira (25).  

Segundo a Procuradoria, o prazo é para que a PRF apresente mais detalhes sobre o caso e seja instaurado um inquérito para investigar a abordagem dos policiais.  

Em nota enviada à imprensa, a PF informou que o inquérito já foi aberto e que já trabalha no caso. Já A PRF alega que um procedimento também já foi aberto para apurar a ocorrência.

Identificado como Genivaldo de Jesus Santos, o homem de 38 anos morreu após ser trancado por agentes da Polícia Rodoviária Federal em uma “câmara de gás” dentro de uma viatura, na BR-101, no município de Umbaúba, no Litoral de Sergipe. Segundo informações da família, a vítima teria esquizofrenia.  

O Instituto Médico-Legal (IML) informou que análise preliminar aponta que o homem morreu por asfixia. “Vítima teve como causa mortis insuficiência aguda secundária a asfixia”, diz a nota.

Imagens gravadas por pessoas que assistiram à ação foram compartilhadas em redes sociais e mostram a vítima sendo algemada no chão e colocada pelos agentes no porta-malas da viatura. De dentro do carro sai fumaça.  

Testemunhas contaram que os agentes jogaram uma bomba de gás de pimenta dentro do veículo no intuito de conter o homem, que estava em surto.  

Genivaldo chegou a ser socorrido, segundo a PRF. Ele teve a morte confirmada pelo hospital de Umbaúba. A corporação afirmou em nota que abriu um procedimento disciplinar para averiguar a conduta dos policiais envolvidos.

O texto afirma que “técnicas de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo” foram empregados para conter Santos que, segundo a PRF, estava agressivo. No entanto, não foram detalhadas quais seriam essas técnicas.  

O corpo de Genivaldo foi velado na manhã desta quinta-feira (26) no povoado Mangabeira, em Santa Luzia do Itanhy, na casa da mãe dele.