Notícias

Não são as sociedades científicas que definem as políticas públicas, diz Queiroga sobre a cloroquina

Ministro desviou de perguntas feitas pelos senadores sobre o medicamento sem eficácia contra a Covid

Da redação com BandNews TV 06/05/2021 • 15:27

O ministro Marcelo Queiroga irritou alguns senadores durante seu depoimento na CPI da Pandemia ao se recusar a dar respostas claras sobre o tratamento precoce com hidroxicloroquina.

Depois de desviar das perguntas de Renan Calheiros (MDB-AL), Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Eduardo Braga (MDB-AM), Queiroga foi colocado contra a por Otto Alencar (PSD-BA), que é médico e questionou se o medicamento poderia provocar uma parada cardíaca.    

"Esses medicamentos podem provocar uma arritmia. É uma medicação que prolonga o que nós chamamos de intervalo QT (quando o coração demora mais entre os batimentos), então isso precisa ser avaliado pelo médico. A prescrição, ela é feita por médicos", respondeu o ministro da Saúde.

O presidente da República pegou uma caixa de hidroxicloroquina, levantou e mandou o povo brasileiro usar a hidroxicloroquina

Alencar lembrou, então, a postura de Bolsonaro em relação aos medicamentos: "Vossa excelência respondeu que a hidroxicloroquina só pode ser usada com orientação médica, mas o presidente da República pegou uma caixa de hidroxicloroquina, levantou e mandou o povo brasileiro usar a hidroxicloroquina".

O senador também lamentou que Queiroga não desse um depoimento mais assertivo e disse que a Sociedade Brasileira de Cardiologia, instituição que já foi presidida pelo ministro, não recomendava o uso da hidroxicloroquina contra o coronavírus.

Não são as sociedades científicas que definem as políticas públicas no âmbito do Sistema Único de Saúde

Queiroga afirmou que aguarda um protocolo da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec) para fazer recomendações: "Não são as sociedades científicas que definem as políticas públicas no âmbito do Sistema Único de Saúde. Se fossem as sociedades científicas a definirem as políticas públicas de saúde, eu temeria pelo sistema público de saúde do Brasil".

O ministro reconheceu em outro momento que não há previsão na bula de uso da hidroxicloroquina para o tratamento da Covid-19. Estudos já mostraram que o medicamento é ineficaz nesse tipo de tratamento.

  • Marcelo Queiroga