Notícias

SP pede antecipação do intervalo entre 2ª e 3ª doses para 4 meses

Secretário Edson Aparecido explicou que o principal objetivo da prefeitura é aumentar a aplicação de doses de reforço

Da Redação, com Bandnews TV 01/12/2021 • 23:33 - Atualizado em 02/12/2021 • 12:31
3ª dose aumenta proteção contra covid-19
3ª dose aumenta proteção contra covid-19
Unsplash

A cidade de São Paulo quer acelerar a aplicação da 3ª dose da vacina contra covid-19. Atualmente as pessoas precisam esperar cinco meses para reforçar a imunização, mas a prefeitura pretende reduzir esse prazo para quatro meses. 

A informação foi confirmada pelo Secretário Municipal de Saúde, Edson Aparecido, em entrevista ao programa Ponto a Ponto, do BandNews TV, na noite desta quarta (1º) e ratificada em oficios enviados nesta quinta (2) à Anvisa, governo de São Paulo e Ministério da Saúde.

"A nossa ideia é ampliar a cobertura vacina da população com a 3ª dose. Recentemente o município tomou a decisão importante de aplicar a vacina da Pfizer como reforço para quem tomou Jansen. E agora temos esse estudo da Vigilância Sanitária, que acabou de fazer. Hoje discutimos isso com o prefeito Ricardo Nunes, que está em Nova York. Tem a possibilidade de redução do prazo para 4 meses, como aconteceu na União Europeia e no Reino Unido. E agora, com a nova variante, isso é importante", declarou Edson no programa da jornalista Mônica Bergamo.

À Rádio Bandeirantes, Aparecido disse que mais de 1,3 milhão de pessoas seriam beneficiadas imediatamente se medida for avalizada.

De acordo com o Secretário, outros estados e o Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde) estão consultando a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para fazer essa redução de prazo. 

"A gente deve fazer solicitação à Anvisa, mas também ao Comitê Científico do estado. Estado e município poderiam tomar essa decisão. Não precisa autorização da Anvisa. Temos uma quantidade expressiva de vacinas", declarou Edson, deixando claro que há doses suficientes para acelerar esse processo.

Entre as justificativas estão o surgimento da variante ômicron e o cenário de aumento de casos e óbitos em países com baixa cobertura vacinal. 

Mas ele lamenta que muitas pessoas não estejam completando a imunização. "Temos 1 milhão de pessoas que poderiam ter tomado a 3ª dose e não compareceram. A gente espera que, com nova variante, a população possa comparecer e se imunizar de forma completa".

No ofício, a prefeitura de São Paulo ainda disse que o comprovante de endereço não é mais exigido para vacinação no município.