Band Rio

Casos de Dengue aumentam 177% em 2022 no Rio

A maioria dos casos foi registrada na capital Fluminense

Felipe de Moura* 25/05/2022 • 17:54 - Atualizado em 26/05/2022 • 09:24
Os casos de dengue aumentaram em 2022
Os casos de dengue aumentaram em 2022
Reprodução

O número de casos de dengue no estado do Rio cresceu em 177,6% nos cincos primeiros meses do ano de 2022, quando comparado com o mesmo período de 2021. Segundo o levantamento da Secretaria de Estado de Saúde (SES), o aumento, em relação à 2020, foi de 20,5%. A capital Fluminense é a cidade com mais casos registrados.

Dos 4.178 casos registrados neste ano, 1.672 foram notificados na capital, que tem taxa de transmissão de 24,8 por 100 mil habitantes. Quando esse índice ultrapassa 300 por 100 mil habitantes, considera-se um cenário de alta transmissão, ou epidemia.

“O levantamento mostra que não podemos descuidar da dengue. Precisamos ficar alerta para que não tenhamos uma epidemia em todo o estado no final deste ano, início do ano que vem. E a hora de agir é agora. O mosquito da dengue vive principalmente dentro das nossas casas, por isso é tão importante que todos dediquem 10 minutos por semana para combater os focos”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

Três mortes foram registradas nesses primeiros cinco meses de 2022, sendo duas na capital e uma em Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense. No ano passado, quatro óbitos foram registrados durante todo o ano.

Mesmo com a capital Fluminense registrando a maior parte dos casos, a transmissão da dengue é maior em cidades do Noroeste, como Aperibé e Cambuci, e no Norte Fluminense, como em Carapebus.

“Acho que focamos numa pandemia e esquecemos de outros problemas. A dengue é uma doença muito séria e precisamos sempre ficar em estado de alerta. Eu sempre verifico se tem água parada em algum lugar de casa e também tento conversar com os vizinhos sobre a importância de se precaver dessa doença”, disse o autônomo Alexandre Pinto.

VEJA COMO SE PREVENIR DA DENGUE

- Tampar as caixas d'água;

- Não deixar água acumulada na laje;

- Manter os lixos fechados;

- Utilizar areia nos vasos de plantas;

- Deixar garrafas e outros recipientes de cabeça para baixo;

- Deixar as lonas esticadas;

- Retirar a água dos pneus;

O aumento de casos que estamos observando neste momento pode estar relacionado à redução das ações de controle do mosquito Aedes aegypti, durante a pandemia de Covid-19. É importante a participação da  população nas medidas de prevenção. Por outro lado, tivemos um período chuvoso intenso este ano o que aumenta a população dos mosquitos vetores. Dengue é um problema que envolve toda a sociedade. Precisamos ter em mente que a doença pode evoluir de forma grave e levar à óbito. Cada um precisa fazer o seu papel", disse Tânia Vergara, presidente da Sociedade de Infectolgia do Rio de Janeiro.

*Estagiário sob supervisão de Natashi Franco