Band Rio

Rio e Niterói formam megacidade para combater crise climática

Bloco criou metas a serem atingidas entre 2030 e 2050

Beatriz Duncan (sob supervisão) 20/10/2021 • 19:53
O primeiro evento que as cidades vão comparecer é a COP26, em Glasgow, na Escócia, entre 31 de outubro a 12 de novembro.
O primeiro evento que as cidades vão comparecer é a COP26, em Glasgow, na Escócia, entre 31 de outubro a 12 de novembro.
Reprodução/TV Band

Os prefeitos do Rio e de Niterói se reuniram nesta quarta-feira (20) para anunciar a formação de um bloco representativo da Região Metropolitana em conferências internacionais climáticas. A ideia é defender de forma unificada o combate às crises do clima. A partir do pacto, Eduardo Paes e Axel Grael formam uma “megacidade”, representando o setor público na Aliança de Megacidades para a Água e o Clima, da Unesco.

O primeiro evento que as cidades vão comparecer é a COP26, em Glasgow, na Escócia, entre 31 de outubro a 12 de novembro. O bloco vai ser representado por Axel, prefeito de Niterói. O segundo evento com participação da dupla será a II Conferência Internacional sobre Água, Megacidades e Mudança Global, que acontece de 11 a 14 de janeiro de 2022, em Paris.

“Tanto o Rio de Janeiro quanto Niterói têm um pioneirismo e um protagonismo no tema ambiental no país. Essas vão ser ações duradouras. Tem tudo a ver essas duas cidades trabalharem juntas, porque a experiência de uma cidade contribui com a experiência da outra”, afirma Axel Grael. Niterói foi o primeiro município a criar uma Secretaria do Clima. A cidade tem o objetivo de neutralizar as emissões de carbono até 2050. A prefeitura pretende apresentar seu planejamento até o fim deste ano.

Rio e Niterói farão parte de pesquisas, buscas por soluções técnicas, estudos de educação ambiental, além da criação de políticas públicas relacionadas à gestão hídrica e mudanças climáticas. Juntas, as cidades reúnem 61% da população da Região Metropolitana do estado.

“São muitos os desafios, e esse é um tema importante. Rio e Niterói têm de ter esse protagonismo de trazer o assunto à mesa. A agenda ambiental tem muita relevância e impacto na vida das pessoas”, diz o prefeito do Rio, Eduardo Paes. A capital fluminense lançou em julho deste ano um Plano de Desenvolvimento Sustentável e Ação Climática (PDS), que estabelece metas a serem cumpridas a partir de 2030, e até 2050. Um dos objetivos é alcançar, em nove anos, a redução de 20% das emissões de gases de efeito estufa em relação às emissões de 2017.

Além dos prefeitos das duas cidades, estiveram no evento os secretários municipais de Meio Ambiente do Rio, Eduardo Cavaliere, do Clima de Niterói, Luciano Paez, a presidente do Comitê de Bacia da Baía de Guanabara, Christianne Bernardo da Silva, e o secretário de Integração Metropolitana, Achilles Barreto.

  • clima
  • rio de janeiro
  • niterói