Band Vale

Novo quadrinho da DC tem grande papel de representatividade

Filho de Clark e Lois Lane, Jon Kent é o Superman bissexual

Fernanda Miranda - Equipe BANDx 13/10/2021 • 11:17
Divulgação
Divulgação
DC Comics

Anunciada pelas páginas oficiais da DC Comics, a história a ser lançada em novembro traz em sua capa o famoso herói sendo carregado pelo suposto companheiro, e uma imagem de ambos em um beijo. Para comemorar a data de 11 de outubro com verdadeira dignidade, a DC Comics divulgou imagens de Superman: Filho de Kal-El #5 um tanto emocionantes para a comunidade LGBTQIA +. 

(Imagem: Divulgação / DC Comics)

¨

Mas vamos pelo começo! Caso você não saiba qual o significado do dia 11 de outubro para a comunidade, venho neste parágrafo lhe explicar: em 1987, a cidade de Washington nos Estados Unidos foi marcada pela Marcha Nacional de Direitos de Gays e Lésbicas e, com a força e persistência de militantes e ícones importantes da época, a data foi registrada no país norte-americano como o “Dia Nacional de Sair do Armário” (The National Coming Out Day). Portanto, qual melhor dia para anunciar a bissexualidade de um personagem tão importante, não é?

Com data de lançamento nos Estados Unidos para 9 de novembro, o quadrinho Superman: Filho de Kal-El #5 conta a história de Jon, filho de Clark e Lois Lane, que segue o mesmo rumo do pai: um forte super-herói, que salva vidas e espalha o bem pelo país, sendo orgulho e ícone nacional por carregar as cores estadunidenses em seu peito. Entretanto, diferente dos tradicionais romances heterossexuais que tanto acostumamos ver nas telinhas, desta vez a DC Comics apostou em representatividade: Jay Nakamura, um comum repórter que faz amizade com Jon, posteriormente se envolve romanticamente com ele, como é mostrado na imagem em que ambos se beijam. 

Jim Lee, chefe de criação e publicador da DC, apontou as vantagens de ter esse background na história do Kent:

Não poderíamos estar mais orgulhosos de contar essa importante história de Tom Taylor e John Timms. Nós falamos muito sobre o poder do Multiverso da DC nas nossas histórias e esse é outro incrível exemplo. Nós podemos ter Jon Kent explorando mais sua identidade [...]

Nos últimos tempos, vemos que a representatividade anda crescendo ao nosso redor, nas mídias em geral e nas telas, portanto, esta aposta da DC é de extrema importância para a história não só do audiovisual, como também para a comunidade LGBT+. E não é a primeira vez que isso acontece! Alguns personagens principais como: Arlequina, Lanterna Verde e até mesmo Diana Prince já foram incluídos dentro da comunidade de lésbicas, gays e bissexuais em versões mais recentes das comics.

Sendo assim, colocar um personagem tão icônico como bissexual não somente acolhe uma enorme diversidade de fãs e leitores como também abre muitas portas para futuras representatividades e adaptações, incentivando outras editoras e produtoras a fazerem o mesmo. Afinal, convenhamos que já passou da hora de preconceitos serem tratados como coisas do passado, e nós, como parte do meio audiovisual em geral, temos a chave em mãos de colocar à tona assuntos de necessidade, de qualidade e de respeito.

E aí, se interessou mais por Jon Kent? Eu com certeza sim!

  • Band X