BandNews FM

Passaporte de vacinação entra em vigor no Rio nesta quarta, 15

Estabelecimentos estão se adaptando e já barram pessoas que descumpriram a medida

15/09/2021 • 17:31 - Atualizado em 15/09/2021 • 17:42
Passaporte de vacinação começa a valer na cidade do Rio de Janeiro
Passaporte de vacinação começa a valer na cidade do Rio de Janeiro
Foto: Tânia Rêgo/ Agência Brasil

O passaporte de vacinação começou a valer nesta quarta-feira (15), na cidade do Rio de Janeiro. O decreto municipal estabelece que as pessoas devem comprovar que estão vacinadas contra a Covid-19.

Cariocas e turistas que não apresentaram o comprovante já foram barrados nas entradas de estabelecimentos. A medida vale para a entrada em academias, piscinas, pontos turísticos, museus, centros comerciais, cinemas e teatros. Ficaram de fora bares, restaurantes, shoppings e lojas.

O vice-presidente do Tijuca Tênis Clube, Marcio Cordeiro, diz que os associados estão se adaptando ao modelo de fiscalização: “A gente está ajudando os sócios a entenderem esse formato, respeitando todas as normas... É um processo que rapidamente vai dar certo.”

O passaporte de vacinação valerá até novembro, quando 90% da população carioca deve estar com o esquema vacinal completo de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde.

VACINAÇÃO NO RIO DE JANEIRO

Nesta quarta-feira (15), o Rio de Janeiro retomou a imunização dos adolescentes. Meninas de 14 anos devem receber a primeira dose até amanhã. O município também começou a vacinar com a terceira dose as pessoas com alto grau de imunossupressão e mais de 60 anos.

O Secretário Municipal de Saúde do Rio afirmou que só seria possível reduzir o intervalo de aplicação da vacina Pfizer de 12 semanas para 21 dias, já autorizado pelo Ministério da Saúde, se o Rio tivesse um estoque de 4 milhões de doses só para si.

Daniel Soranz falou que o intervalo entre as doses da AstraZeneca não vai ser reduzido, já que, segundo ele, não há comprovação científica de que o prazo pode ser alterado de 12 para 8 semanas. Além disso, a cidade leva em consideração o posicionamento contrário da Fundação Oswaldo Cruz sobre a mudança.