Notícias

Mesmo com decisão judicial, Light não troca estrutura de poste na Zona Oeste

Após entrar com processo em 2020, a Justiça do Rio determinou, em abril deste ano, a troca do equipamento pela Light em um prazo de 24 horas, após laudo de um perito indicado pelo judiciário que aponta a responsabilidade da concessionária

João Boueri* 05/07/2022 • 13:08 - Atualizado em 05/07/2022 • 13:50
Estrutura de poste na Rua Dezesseis, no Rio das Pedras, não recebeu reparo
Estrutura de poste na Rua Dezesseis, no Rio das Pedras, não recebeu reparo
Reprodução/Ouvinte BandNews FM

Mesmo após decisão judicial e cinco anos depois do primeiro contato para realizar o reparo de um poste na Rua Dezesseis, em Rio das Pedras, Zona Oeste do Rio, a Light ainda não providenciou a troca da estrutura.

Em 2017, o pizzaiolo e pedreiro Marcos Vinícius entrou em contato com a concessionária de energia elétrica para realização de reparo no poste que está inclinado e sustentado pela estrutura de laje da residência do cliente.

A primeira e única visita da Light foi em dezembro de 2018. Segundo Marcos, os técnicos constataram que era necessário trocar o poste, mas que não estariam com os equipamentos adequados. A concessionária não voltou mais ao local.

Após entrar com processo em 2020, a Justiça do Rio determinou, em abril deste ano, a troca do equipamento pela Light em um prazo de 24 horas, após laudo de um perito indicado pelo judiciário que aponta a responsabilidade da concessionária. O engenheiro também destacou que uma possível queda do poste também colocaria em risco as casas do entorno.

Enquanto isso não acontece, Marcos Vinícius afirma que não deixa mais os três filhos brincarem na rua próximo ao poste. Um deles já sofreu choque elétrico dentro de casa.

A defesa de Marcos Vinícius entrou com pedido para pagamento da multa após não realização do serviço pela Light. O juiz previu penalização de R$ 500,00 por dia caso a troca do equipamento não fosse providenciada.

A Light disse que está ciente do caso e informa que busca uma solução para o remanejamento do poste. Além disso, a concessionária alega que está verificando a viabilidade de estudo e projeto para atender à solicitação.

Entretanto, a empresa pediu no processo a impugnação do laudo de vistoria do engenheiro indicado pela Justiça. A concessionária afirma que a responsabilidade é da Prefeitura do Rio.

*Estagiário sob supervisão de Luanna Bernardes