Eleições

Lula-Alckmin: PT aposta em verde e amarelo em lançamento de chapa

Verde e amarelo foram as cores que tomaram conta do palco onde Lula discursou em lançamento de chapa com Alckmin

Édrian Santos 07/05/2022 • 10:12 - Atualizado em 06/06/2022 • 16:20

O PT lançou as pré-candidaturas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB) a presidência e vice-presidência da República, respectivamente, nestas eleições. Nos discursos deste sábado (07), ambos destacaram a união de “forças democráticas” contra o governo de Jair Bolsonaro (PL).

“Queremos unir os democratas de todas origens e matizes, das mais variadas trajetórias políticas, de todas as classes sociais, de todos os credos religiosos para enfrentar a ameaça totalitária, o ódio, violência, discriminação e exclusão que pesam neste país”, disse Lula.

Havia a expectativa sobre a participação ou não de Alckmin, já que, na última sexta-feira (06), ele foi diagnosticado com covid-19. Ainda ontem, o PT disse que o ex-governador discursaria por vídeo, como de fato aconteceu. O ex-rival de Lula agradeceu pela oportunidade de compor a chapa presidencial.

“Quando o presidente Lula estendeu a mão, eu vi nesse gesto muito mais que um sinal de reconciliação entre dois adversários históricos. Vi um verdadeiro chamado à razão”, disse Alckmin. “Sem Lula, não haverá alternância de poder na nossa democracia”, continuou.

Verde e amarelo e presença de artistas

Sob o verde e amarelo como cores predominantes, o evento teve lideranças do PCdoB e do PV, com quem o PT formou uma federação partidária, além do apoio da Rede Sustentabilidade, Solidariedade e do PSB, partido que indicou Alckmin para ser vice na chapa petista na corrida presidencial.

Os presidentes de todos os partidos citados acima estiveram presentes no lançamento da pré-campanha, marcado pelo discurso de Lula e Alckmin. Personalidades artísticas também foram destaques no evento. A cantora Teresa Cristina interpretou o Hino Nacional.

Alckmin menciona lealdade a Lula

No discurso de mais cedo, Alckmin reforçou o apoio a Lula ao dizer que será um parceiro leal e que nada o fará desistir da volta do petista à presidência da República.

“Perante toda a sociedade brasileira, serei um parceiro leal, seriamente compromissado com o seu propósito de fazer do Brasil um país socialmente mais justo, economicamente mais forte, ambientalmente mais responsável e internacionalmente mais respeitado”, pontuou Alckmin.

Petista prevê “lula com chuchu” em 2022

Já Lula, logo depois do discurso de Alckmin, suavizou críticas sobre a aliança com o ex-governador de São Paulo ao brincar com a combinação alimentícia de “lula com chuchu”. Para o petista, esse será o prato da moda em 2022.

“Saio daqui na expectativa de que vamos comer chuchu com lula”, ironizou Lula. “Lula e chuchu será o prato predileto em todo o ano de 2022. Esse prato se tornará o prato da moda no Palácio do Planalto a partir das eleições”, continuou.