Entretenimento

Amber Heard diz que sofre ameaças de morte por causa de acusações de Johnny Depp

Ex-casal se enfrenta no tribunal após o ator ter processado a atriz sob o argumento de que ela o difamou. Amber Heard acusa Jhonny Depp de agressão

Lisa Richwine, da Reuters 27/05/2022 • 10:13 - Atualizado em 27/05/2022 • 16:42
Amber Heard e Johnny Depp se enfrentam no tribunal
Reuters

A atriz Amber Heard prestou seu depoimento final na batalha judicial multimilionária de difamação contra o ex-marido Johnny Depp nesta quinta-feira (26), e disse aos jurados que enfrenta assédio diário e ameaças de morte desde que acusou o astro de Hollywood de violência doméstica.

Depp, de 58 anos, processou Heard no Estado da Virgínia em uma ação de 50 milhões de dólares, sob o argumento de que a atriz o difamou quando referiu-se a ela mesma como "uma figura pública que representa abuso doméstico".

Amber Heard, de 36 anos, entrou com uma ação pedindo 100 milhões de dólares, apontando que Depp a difamou quando o advogado do ator qualificou suas acusações de "farsa". A decisão do juri deve sair nesta sexta-feira, após cada lado oferecer argumentos finais.

Heard encerrou seu depoimento dizendo que tem sido "assediada, humilhada, ameaçada" nas redes sociais desde que acusou o astro de "Piratas do Caribe" de abuso físico e sexual. "As pessoas querem me matar e me dizem isso todos os dias. As pessoas querem colocar minha filha no microondas." 

Segundo a atriz, o assédio contínuo é parte de uma cruzada de Depp para humilhá-la publicamente. Depp admitiu ter escrito em um texto de 2016 que Heard estava "implorando por total humilhação global" e que "ela vai conseguir". O ator disse ter escrito o trecho com raiva por tomar conhecimento que ela o acusava de abuso físico.

"Ele queria arruinar minha carreira", afirmou Heard ao júri. “As ameaças que ele fez para me humilhar, globalmente, estão sendo vividas em tempo real, diante de vocês... e do mundo inteiro”, complementou.

Depp negou ter batido em Heard ou em qualquer mulher e disse que foi ela quem se tornou violenta no relacionamento. Os dois se conheceram em 2011 durante as filmagens de "Diário de um Jornalista Bêbado" e se casaram em fevereiro de 2015. O divórcio foi finalizado cerca de dois anos depois.