Masterchef

Eduardo Prado, ex-MasterChef Junior, retorna à 8ª edição do programa: “Estudei muito”

Após cinco anos treinando novas técnicas, estudante volta ao talent show disposto a levar o troféu para casa

Stefani Sousa e Fernanda Frozza 25/06/2021 • 14:34 - Atualizado em 26/06/2021 • 13:35
Eduardo Prado, ex-MasterChef Junior, retorna à 8ª edição do programa: “Estudei muito”
Eduardo Prado, ex-MasterChef Junior, retorna à 8ª edição do programa: “Estudei muito”
Carlos Reinis/Band

Dizem por aí que o bom filho a casa torna! No caso do paulistano Eduardo Prado, de 19 anos, o ditado popular cabe perfeitamente para definir sua relação com o MasterChef Brasil. Depois de participar da edição Junior, em 2015, ele volta agora à 8ª temporada do talent show - que estreia dia 06 de junho, às 22h30, na Band - focado em mostrar o tanto que aprendeu, estudou e evoluiu quando o assunto é gastronomia. “Quero fechar um ciclo que ficou incompleto por eu não ter ido até o final”, conta em entrevista ao Band.com.

Em sua primeira passagem pelo programa, ele se destacou em algumas provas, mas foi eliminado nas quartas de final depois de alguns erros técnicos ao preparar profiteroles. De lá para cá, prometeu a si mesmo que voltaria à cozinha mais famosa do Brasil e se dedicou justamente a aperfeiçoar os detalhes para não cometer os mesmos erros. Promessa cumprida! “Nesses seis anos, estudei muito, tanto com livros quanto com Youtube para aprimorar minhas técnicas, voltar e fazer o melhor possível. Não tinha conhecimento naquela época para executar com perfeição e agora tô em busca disso”, explica ele, que hoje compartilha suas dicas gastronômicas para os mais de 700 mil seguidores no TikTok, 730 mil no Instagram e 170 mil no Youtube. 


O interesse por essa área existe desde as suas primeiras memórias. Quando criança, fingia cozinhar feijão em panelinhas de brinquedo. Depois, passou a observar a mãe na cozinha e, aos 6 anos, fez sua primeira receita: uma torta de banana, que o paulistano garante ser uma delícia. Desde então, a paixão pela gastronomia só cresceu.

Ainda assim, na hora de escolher um curso na faculdade, optou por Administração em vez de Gastronomia. O motivo, ele explica, foi pensar a longo prazo para ter um negócio de sucesso na área. “Veja o Jacquin, ele é um dos chefs que mais admiro no mundo, consegue transformar poucos ingredientes em maravilhas, mas quando ele não teve uma boa administração, nem ele conseguiu manter restaurante”, relembra ao citar a época em que o francês fechou as portas do seu antigo restaurante, La Brasserie, em São Paulo. “Ter um bom gerenciamento vai me possibilitar criar meus negócios dentro da gastronomia e crescer”, completa.

Já deu para notar que o estudante é do tipo que pensa grande, né? Não à toa, mesmo antes do início das gravações, ele disse que já está ansioso para chegar em casa com o troféu em mãos e mostrar para a irmã mais velha, Alice, e para os pais. Caso leve o prêmio, a ideia é investir em um mestrado de administração em Paris, na França, terra natal de Jacquin e de Pierre Gagnaire, seu chef preferido.

Para realizar esse sonho, a tática é redobrar a atenção aos detalhes e procurar sempre inovar, não apenas reproduzir pratos clássicos. Tanto que, apesar de acompanhar o trabalho de profissionais renomados, ele defende que a ideia é usar como inspiração para criar suas próprias receitas, assim como um artista faz com uma tela em branco.

Com essa energia, de um participante inovador, cheio de técnicas e veterano na competição, o estudante está pronto para viver essa experiência mais uma vez. Para ele, seu ponto baixo não está na cozinha, mas no excesso de honestidade para lidar com as relações dentro do programa. “Isso pode  me deixar mais exposto dentro do jogo. Se eu não gostar de alguma atitude, vou falar, não vou segurar”, diz. Mas, ganha o MasterChef quem cozinha melhor, certo? E ele promete que tempero e qualidade nos pratos não vão faltar para os jurados. Bem-vindo de volta, Eduardo!