Masterchef

José Sergio, do MasterChef, é apaixonado por samba e boas receitas

Pernambucano tem sonho de criar instituto para alimentar pessoas em situação de rua

Stefani Souza e Vinícius de Melo 30/06/2021 • 16:14
José Sergio desfila no Carnaval pela Mocidade
José Sergio desfila no Carnaval pela Mocidade
Divulgação/Band

O pernambucano José Sergio é um dos novos participantes da oitava temporada do MasterChef Brasil. Amante do Carnaval e integrante da Mocidade, ele também traz para a passarela da gastronomia a mesma paixão. Seu sonho é vencer o talent show mais difícil do mundo para alimentar quem não tem o que comer.

“O meu ponto mais forte é a cozinha, a criatividade. A minha mente não para de criar. Já meu ponto fraco, que eu preciso controlar, é que eu gosto de ajudar ao outro. Eu preciso tomar consciência de que isto será uma competição, porque eu tenho um projeto em mente de fazer um instituto com o nome da minha mãe”, disse em entrevista ao Portal da Band.

“Nunca vi alguém bater na porta da minha mãe pedindo algo para comer e ela deixar a pessoa ir embora com fome. Então, pode escrever: eu vou ganhar o MasterChef e alimentar as pessoas em situação de rua que não tem o que comer. Quero ajudar quem precisa, o Instituto Cícera é meu projeto de vida”, completa.

Para realizar o sonho, José Sergio conta com a experiência do dia a dia nas panelas. “Eu cozinho todos os dias para as minhas cobaias. O pessoal em casa briga: ‘Você chamou fulano, chamou ciclano’. Eu tenho seis afilhados e um sobrinho. O menor, quando tinha quatro anos, falava assim para a mãe dele: ‘Vamos na casa do tio Serginho comer ‘papá’ bom’”, relembra bem-humorado.

“É engraçado que quando alguém fala assim: ‘Você quer ser cobaia?’ Ninguém quer. Mas quando eu falo que estou fazendo algo novo, todo mundo quer aparecer lá em casa. E eu gosto disso porque eu venho de uma família onde tudo acontecia em volta da mesa”, conta.

Inclusive, é com as receitas de família que o representante comercial quer surpreender. “Minha avó materna morava em sítio, tinha fogão de pau a pique. Assava carne de porco e colocava na lata, na própria gordura, que hoje virou confit. Conheço desde os sete anos. E minha mãe também era uma exímia doceira, fazia doce de mamão, rapadura, caju. Cozinhavam com muito amor”, relembra.  

José Sergio promete mostrar toda a sua paixão pelas panelas dentro das provas do talent show. “A gastronomia é um vício. É a heroína cozida na panela. Quando você é mordido pelo bichinho da gastronomia, esquece. Não existe antídoto. E eu também não quero encontrar, pode ficar com quem descobrir”, brincou. Será que esse tempero vai dar samba?