Jogo Aberto

Mourão cita ditadura e ironiza Tite: ‘Não quer? Cuiabá está precisando de técnico’

Vice-presidente defendeu a realização da Copa América no Brasil e se colocou contra misturar política e futebol

Da Redação, com Jogo Aberto 07/06/2021 • 13:13 - Atualizado em 07/06/2021 • 13:22

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, defendeu nesta segunda-feira, 7, a realização da Copa América no Brasil. A realização da competição foi um dos motivos da crise na CBF, junto do afastamento do presidente da entidade, Rogério Caboclo, por causa de denúncias de assédio moral e sexual. Ao comentar a mobilização de jogadores e comissão técnica, que seriam contrários a disputar o torneio, Mourão ironizou Tite.

“O técnico não quer mais? O Cuiabá [clube da Série A] está precisando de um técnico... Então leva ele lá, pede o boné”, disse Mourão, afirmando que Tite deve pedir demissão caso não concorde com a Copa América no Brasil durante a pandemia.

O treinador não afirmou publicamente ser contra a Copa América, mas não fez pronunciamento a favor. Nos últimos dias, diante de rumores de que faria oposição à realização do torneio, Tite foi atacado por defensores do presidente Jair Bolsonaro, chegando a ser alvo de memes e chamado de comunista.

Regime militar

Mourão citou a ditadura militar no Brasil para lembrar que, no passado, os jogadores se apresentavam à Seleção Brasileira sem contestar a situação política no país.

“Eu sou do tempo em que o jogador quando era convocado para a Seleção Brasileira, era considerado uma honra”, declarou. “Durante o período que havia uma contestação maior no Brasil, durante o período do governo de presidentes militares, ninguém deixou de servir a Seleção. Bobagem isso aí”, afirmou o vice-presidente.

Mourão disse ser contra misturar política e futebol: “não vale a pena”.

Segundo a Rádio Bandeirantes, os jogadores decidiram jogar a Copa América, após a ameaça de não participarem.

Pandemia

Sobre a Copa América, o vice-presidente chamou de “disfuncional” a discussão sobre eventuais impedimentos à realização da competição no Brasil. Mourão citou o Pan-Americano de Ginástica Artística, encerrado no último domingo, 6, no Rio de Janeiro, para justificar a Copa América no país.

“Estamos com ‘n’ torneios sendo realizados no Brasil, inclusive torneio de ginástica, com delegações de tudo quanto é lugar, competindo aqui em ambiente fechado, e ninguém falou nada”, disse.

“Baixo nível”

Questionado sobre a crise na CBF, e o afastamento de Caboclo, Mourão preferiu ser breve nos comentários. Mas falou em “baixo nível” ao falar do motivo da suspensão do presidente da entidade e lembrou que “não é novidade” ter comandantes da CBF envolvidos em “problemas”, sem citar nomes.

“Isso é um assunto interno da CBF. Afastamento por motivo de baixo nível... O que, aliás, não é novidade. Já tivemos outros presidentes da CBF com problemas”, lembrou.

  • Futebol