Bolsonaro tenta "preparar campo para uma virada de mesa" nas eleições, diz Marco Aurélio Mello

Na avaliação do ex-ministro do STF, o presidente tenta desviar o foco da CPI da Pandemia com suas críticas ao sistema eleitoral brasileiro

Rádio Bandeirantes 03/08/2021 • 11:03 - Atualizado em 03/08/2021 • 11:43

O presidente Jair Bolsonaro está tentando "desviar o foco da CPI" ou estaria "preparando o campo para uma virada de mesa" nas eleições. É a avaliação do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)  Marco Aurélio Mello sobre a insistência do presidente da República nas críticas ao sistema eleitoral.

Mello estava no comando do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nas primeiras eleições informatizadas, há 25 anos. Em entrevista à Rádio Bandeirantes, no Jornal Gente, Marco Aurélio Mello disse que o voto eletrônico "preserva a vontade do eleitor", ao contrário do que ocorria antes.

“Eu constato que o presidente é tinhoso e parece de duas uma ou que ele está tentando desviar o foco presente a CPI ou que ele já está preparando o campo para uma virada de mesa em 2022 quando se apresentará candidato à reeleição e tiver insucesso considerada a vontade dos eleitores”, disse. 

Para o ex-ministro do Supremo, Bolsonaro tenta ditar as regras ao exigir o que chama de voto impresso e editável.

No entanto, Marco Aurélio Mello lembrou que, como o tema está em debate na Câmara, é preciso aguardar a decisão dos deputados.

“Nada surge sem uma causa, já diziam os antigos. Eu não vejo móvel para ter esse ônus para os brasileiros em uma época de crise na saúde e na economia que seria introdução desse sistema, agora de qualquer forma, a introdução para as eleições teria que ocorrer até setembro próximo. Vamos ver o que deliberará a Comissão de Constituição de Justiça sobre a PEC que visa justamente ter se o voto expresso”, afirmou. 

  • entrevista
  • Marco Aurélio Mello
  • Bolsonaro
  • eleições 2022
  • voto
  • CPI