Notícias

Governo de São Paulo vai investigar falta de segunda dose de CoronaVac em cidades do litoral

As queixas chegaram da Praia Grande, Peruíbe e Itanhaém, na Baixada Santista

Da Redação, com Rádio Bandeirantes e Bora SP 21/04/2021 • 08:45 - Atualizado em 21/04/2021 • 08:50

O governo de São Paulo vai investigar a falta da segunda dose de CoronaVac relatada por ouvintes da Rádio Bandeirantes. As informações são da Ana Paula Rodrigues no Bora SP.

As queixas chegaram da Praia Grande, Peruíbe e Itanhaém, na Baixada Santista. Em todos os casos, o relato é o mesmo: foi possível tomar a primeira dose da vacina contra a Covid-19 do Instituto Butantan, mas a segunda ainda não, porque só há doses da Oxford/AstraZeneca nos postos das cidades. 

As reclamações chegaram após a Rádio Bandeirantes alertar sobre a falta de doses da CoronaVac na Praia Grande e os relatos dos ouvintes mostraram que a questão é mais ampla. Consultadas, as três prefeituras alegaram que houve um erro no cálculo de envio das doses.

Itanhaém alega que o cálculo do público-alvo da campanha feito pelo Ministério da Saúde levou em conta dados do último Censo do IBGE, de 2012, que está 30% defasado e, com isso, apenas nessa cidade 2 mil idosos ainda não foram vacinados.

A administração da Praia Grande afirma que a conta do grupo prioritário foi feita em cima de uma população 25% menor que a de hoje e que solicitou mais 1200 doses para a segunda dose dos idosos.

Além do déficit desse cálculo, o prefeito de Peruíbe, Luiz Mauricio, fala que pessoas de outras cidades buscaram pela imunização no litoral. 

“Aqui em Peruíbe a gente tem também esse déficit no encaminhamento das vacinas. A gente tem um cenário de estar vacinando muito mais pessoas do que estavam no nosso censo. A gente tem o cenário de muitas pessoas terem mudado para a cidade e o censo estar desatualizado”, explicou. 

Governo de SP

Em entrevista à Rádio Bandeirante, Regiane de Paula, responsável pelo plano de vacinação em São Paulo e coordenadora do Centro de Controle de Doenças do Estado, afirmou que o governo vai investigar os casos.

“Me chama muito a atenção a falta em alguns municípios da segunda dose. O estado de São Paulo ele tem sido minucioso para que a segunda dose, a dose 2 da vacina, que neste momento ainda é a vacina do Butantan, chegue a todos os municípios. O monitoramento é feito de forma constante, então frente a essa informação, vou buscar junto a minha equipe o porquê estava faltando. Não deveria acontecer em nenhum dos 645 municípios do estado”, disse.

Falta na capital

Além desses casos na Baixada Santista, ouvintes da capital paulista também relataram dificuldade para conseguir a segunda dose da CoronaVac na zona sul da cidade.

O secretário municipal da Saúde Edson Aparecido afirmou à Rádio Bandeirantes que casos relatados pelos ouvintes se tratam de problemas pontuais e que já foram resolvidos.

“Nós tivemos na manhã de terça-feira (20) um problema de abastecimento em duas unidades da região sudeste da segunda dose da CoronaVac, mas já foi feita a reposição de 1.700 doses para essas duas unidades e região”, disse.  

  • falta
  • dose
  • CoronaVac
  • litoral
  • São Paulo