Canal Livre

Canal Livre: "Se Luiz Gama fosse americano nós já conheceríamos a obra completa"

A professora Ligia Fonseca Ferreira e o pesquisador Bruno Rodrigues de Lima são os entrevistados do Canal Livre deste domingo (19)

Da redação

Canal Livre: "Se Luiz Gama fosse americano nós já conheceríamos a obra completa"
Reprodução

O Canal Livre deste domingo (18), conversa com a historiadora e professora da UNIFESP, Ligia Fonseca Ferreira, e o pesquisador, Bruno Rodrigues de Lima, sobre a luta de Luiz Gama pelo abolicionismo no Brasil.

Entre os principais nomes do abolicionismo, Luiz Gonzaga Pinto da Gama foi o único a vivenciar os horrores da escravidão.

Para Lima, se o advogado fosse americano, o Brasil já teria produzidos diversas obras sobre Luiz Gama e a população já teria conhecimento sobre as suas obras por completo. 

Se o Luiz Gama, fosse americano, estadunidense, que tivesse nascido em Baltimore ou em Boston, nós conheceríamos já a obra completa do Luiz Gama há mais de um século. Nós teríamos produções audiovisuais das mais variadas. Então, o Luiz Gama permanece como um enigma, como uma incógnita, como um mistério, que levará algumas gerações a ser decifrado.

O pesquisador complementa dizendo que os pensamentos e as ideias de Luiz Gama são extremamente importantes e atuais. 

A democracia de Luís Gama, a definição que ele dá, é das mais ricas para pensar uma sociedade moderna complexa. É por isso que o Luiz Gama não é importante só para o Brasil, o Luiz Gama é importante para o mundo. A palavra criativa do Luiz Gama, original, a maneira como ele vê o Estado racista e uma sociedade escravista de soberania plena, como era o Brasil e as desigualdades que ela gerou, são coisas tão atuais para a gente pensar o racismo hoje.

O BandNews TV transmite o Canal Livre às 20h, com a apresentação de Rodolfo Schneider, com a participação do diretor nacional de jornalismo da Band, Fernando Mitre e o jornalista Sérgio Gabriel. 

Banner Whatsapp

Tópicos relacionados

Mais notícias

Carregar mais