Notícias

Caso Lázaro: caseiro deixa prisão após decisão da Justiça; fazendeiro segue detido

Alain Reis confirmou a presença do criminoso na propriedade rural de Elmi Caetano, que está sob prisão preventiva

Da Redação 26/06/2021 • 07:40 - Atualizado em 26/06/2021 • 09:00

Foi solto da Cadeia Pública de Águas Lindas (GO), no início da madrugada desse sábado (26), o caseiro Alain Reis de Santana, de 33 anos, preso acusado de ajudar Lázaro Barbosa em sua fuga. Ele ganhou a liberdade provisória após audiência de custódia, que aconteceu na última sexta (25). O seu patrão, o fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, 74, teve a prisão convertida em preventiva.

O advogado Adenilson Santos afirmou que levou o caseiro para um local seguro e não revelado, já que existe o temos de que ele seja linchado.

Segundo Rodney Miranda, secretário de Segurança Pública de Goiás, a chácara com os dois homens escondeu o criminoso nos últimos dias.

Durante audiência de custódia, os suspeitos entraram em contradição. O advogado do caseiro disse que o cliente confirmou que Lázaro estava escondido na chácara e que foi ameaçado para não denunciar. 

“Ele diz que sim, viu o Lázaro, da forma que está no depoimento dele prestado. Mas é bom lembrar que talvez não tenha sido o Lázaro. As pessoas veem o Lázaro o tempo todo”, explicou o advogado Adenilson Santos ao Brasil Urgente.

Já o advogado do dono da chácara negou que o cliente tenha qualquer ligação com Lázaro Barbosa. De acordo com Ilvan Barbosa, Elmi Caetano chamava Alain de Lázaro em tom de brincadeira, o que pode ter sido interpretado de maneira equivocada no depoimento. O funcionário da fazenda, segundo o advogado, “não sabe se era o Lázaro” a pessoa vista.

“Pode ser e pode não ser. Eu não estava lá. Eu estou falando só o que eu escutei”, disse Ilvan Barbosa, que afirmou que o fazendeiro “desconhece Lázaro”.

Uma das armas que a polícia apreendeu com o caseiro e o dono da chácara tinha sido roubada por Lázaro dias antes, em outra propriedade.

As buscas por Lázaro entram no 18º dia e mobiliza uma força tarefa com quase 300 policiais. Sem o abrigo que lhe serviu de proteção desde o início da semana, agora a polícia acredita que o criminoso voltou a se esconder na zona de mata.

O depoimento do caseiro

Em depoimento às autoridades na noite da prisão, na última quinta (24), Alain afirmou ter confirmado a presença de Lázaro Barbosa na propriedade rural de Elmi Caetano e que o foragido usava um celular a todo momento para falar com alguém. O caseiro ainda disse que não entregou o foragido aos policiais porque foi ameaçado – Lázaro teria dito que conhecia a família de Alain “e iria matar todo mundo”.

“O proprietário de uma fazenda na noite anterior não havia franqueado a entrada, ao mesmo tempo que o caseiro da fazenda saía para fora da sede. No momento, os policiais se aproximaram e avistaram um indivíduo adentrando para a mata. Ao indagaram Alain sobre quem era aquela pessoa, ele afirmou ser Lázaro Barbosa”, registra o depoimento de Alain, ao qual a reportagem da Band teve acesso.

O documento registrou também que Alain “afirma ainda que Lázaro chegou nos primeiros dias com a perna machucada, porém atualmente está em boas condições, pois está sendo apoiado por Elmi Caetano”. O foragido teria passado cinco dias na propriedade.

“(Alain) narrou que ouviu Elmi gritando em direção à mata: ‘Vem almoçar, Lázaro’. E no período noturno, quando iriam se ausentar, gritava: ‘A porta vai ficar aberta’. Além disso, Alain apontou à equipe um local, às margens do córrego, onde Lázaro fumava maconha rotineiramente”, registrou o depoimento da noite de quinta-feira.