Jornal da Band

Talibã pede ajuda internacional após terremoto deixar mortos no Afeganistão

Reino Unido, União Europeia e a ONU disseram que estão prontos para enviar suporte. Mais de 1 mil pessoas morreram no país

Felipe Kieling 22/06/2022 • 20:08 - Atualizado em 22/06/2022 • 20:13

O Talibã, que controla o Afeganistão desde a saída das tropas do Ocidente, pediu ajuda internacional, após um terremoto de magnitude 5,9 deixar mais de 1 mil mortos no país.

Reino Unido, União Europeia e a ONU disseram que estão prontos para enviar suporte.

O Afeganistão fica em uma área de muitos movimentos sísmicos. Nos últimos 10 anos, 7 mil pessoas morreram por conta de terremotos. E o desta quarta-feira (22) foi o mais fatal em duas décadas.

O epicentro do terremoto foi a 44 quilômetros da cidade de Knost, nas proximidades da fronteira com o Paquistão. O sismo também foi sentido no país vizinho e na Índia, mas os relatos de vítimas se concentram no Afeganistão.

Helicópteros foram mobilizados no esforço de resgate para alcançar os feridos e transportar suprimentos médicos e alimentos, afirmaram autoridades afegãs. 

A maioria das mortes confirmadas ocorreu na província oriental de Paktika, onde 255 pessoas morreram e mais de 200 ficaram feridas. Na província de Khost, 25 morreram e 90 foram levados ao hospital.