Band Rio

Rio antecipa aplicação da 2ª dose de Pfizer em pessoas a partir dos 50 anos

A ideia é imunizar mais rapidamente essa faixa etária que também é grupo de risco

Rafaella Balieiro (sob supervisão de Natashi Franco) 21/09/2021 • 12:43
A nova medida também está de acordo com a bula do imunizante
A nova medida também está de acordo com a bula do imunizante
Agência Brasil

A Prefeitura do Rio decidiu antecipar a aplicação da segunda dose do imunizante da Pfizer em moradores da cidade com 50 anos ou mais. O intervalo inicial, que era de três meses, agora passa a ser de 21 dias, prazo que também está permitido de acordo com a bula do imunizante.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, esse público demorou para procurar os postos de saúde para se imunizarem com a primeira dose. A ideia agora é completar o esquema vacinal dessas pessoas mais rapidamente.

"As pessoas com mais de 50 anos são as mais preocupantes para a gente, eles precisam ser protegidos logo. É um grupo que demorou para tomar a 1ª dose, precisamos que elas fiquem completamente imunizados logo", explicou o secretário da pasta, Daniel Soranz.

Com a nova remessa de doses, entregue no sábado (18), a Prefeitura garantiu que tem estoque para imunizar os adolescentes de 13 anos. O calendário dessa semana será retomado na quarta-feira, com meninas dessa faixa-etária nos dois primeiros dias e meninos na sexta.

PASSAPORTE DE VACINAÇÃO

Para entrar em locais fechados do Rio, moradores e turistas precisam apresentar o passaporte da vacinação comprovando que as doses contra a Covid-19 estão em dia. A medida que iniciou no dia 15 desse mês tem sido bem aceita pelos estabelecimentos e pela população. De acordo com a Prefeitura, há poucos casos de pessoas que não quiseram apresentar a documentação da vacina.

"A gente viu uma adesão muito grande dos cariocas, ele é apoiado pela maior parte dos moradores da cidade. É incrível ver as academias, os teatros, cinemas e parques apoiando que as pessoas se vacinem", comentou Soranz.

Os eventos-teste também já estão programados na cidade, a Prefeitura liberou festas ao ar livre com público de até 500 pessoas. Os estádios também reabriram as portas para a torcida, mas para isso, é necessário comprovar o teste negativo de PCR para a Covid-19 e o esquema vacinal em dia.

"Nós queremos estimular que as pessoas se encontrem em locais abertos e que a gente possa gradativamente ir voltando com a vida, mas ainda é muito importante manter a cautela, fazendo o uso de máscara de proteção facial", finalizou o secretário da pasta da saúde

  • Antecipação
  • Vacina
  • Rio de Janeiro
  • Pfizer