Band Multi

17% das brasileiras não sabem que o HPV é uma doença sexualmente transmissível

Rose Guglielminetti 03/07/2022 • 09:09 - Atualizado em 04/07/2022 • 12:26
Médico conversa com paciente
Médico conversa com paciente
Divulgação

Cerca de 17% das brasileiras não não sabem que o HPV é uma DST (Doença Sexualmente Transmissível), de acordo com o estudo da Famivita. O HPV, infecção sexualmente transmissível mais comum no mundo, possui alguns tipos de vírus que podem infectar a região genital e provocar cânceres, como de colo do útero. Em Campinas, o Hospital do Amor atendeu 76 mulheres com a doença entre os anos de 2017 a 2022. 

Esse grupo é formado pelas mulheres entre 25 e 29 anos. Os dados por estado demonstram que em Rondônia, 35% das participantes não sabem que o HPV é sexualmente transmissível. E no Rio de Janeiro e em São Paulo, pelo menos 14% desconhecem a informação.

O SUS oferece vacinação gratuita contra o HPV para meninas de 9 a 14 anos, e mulheres imunossuprimidas de 9 a 45 anos. Porém, meninas e mulheres dos 14 aos 45 anos, também podem tomar a vacina na rede particular, caso tenham acesso a um plano de saúde, ou condições financeiras para pagá-la. No entanto, conforme verificamos apontado pelo estudo, 37% das brasileiras não sabem que podem se vacinar gratuitamente numa unidade de saúde. 

Por isso, é muito importante que as meninas e mulheres abrangidas pelo sistema vacinal, tomem a vacina. E ainda, as mulheres acima dos 25 anos, façam regularmente o exame do Papanicolau, mesmo que pela rede pública. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece o papanicolau, exame preventivo que rastreia e previne câncer do colo do útero, gratuitamente.