Band Vale

Após boletim de ocorrência, mais mães de alunos denunciam maus tratos em creche de São José dos Campos

Pelo menos seis mães denunciaram agressões em creche

Redação Band Vale 28/10/2021 • 17:18 - Atualizado em 28/10/2021 • 18:44
Mães da creche Dom Pedro de Alcântara, na zona sul de São José dos Campos, denuncia maus tratos e agressões
Mães da creche Dom Pedro de Alcântara, na zona sul de São José dos Campos, denuncia maus tratos e agressões
Reprodução/Google Maps

Pelo menos seis mães denunciaram agressões e maus tratos em uma creche na zona sul de São José dos Campos. As informações são de Rauston Naves, do Vale Urgente.

A primeira denúncia foi feita na última semana, por uma mãe que notou hematomas na filha de dois anos após buscá-la na creche IMI D.Pedro de Alcântara, no bairro Dom Pedro I. A prefeitura afastou três funcionários após apuração interna. 

Após o caso ser registrado na Polícia Civil, outras mães decidiram denunciar. Ao menos mais cinco responsáveis por crianças destas creche procuraram o 7º DP de São José dos Campos.

PRIMEIRA DENÚNCIA

De acordo com o boletim de ocorrência, a irmã da mãe foi buscar a sobrinha na escola, e notou que a criança estava com hematomas no rosto. No período da noite, quando a mãe chegou em casa, levou a filha até a UPA do Campo dos Alemães, onde a criança foi medicada e liberada.

No dia seguinte, sábado (16), a mãe levou a criança a UPA do Parque Industrial, e o médico alegou que os hematomas possivelmente foram causados por trauma.

O QUE DIZ A PREFEITURA

Em nota emitida nesta quinta-feira (28), a Prefeitura de São José dos Campos informa que contribuirá com as investigações das autoridades competentes.

Na época da primeira denúncia, a prefeitura de São José dos Campos informou que “lamenta a ocorrência registrada em uma escola de educação infantil na região sul da cidade e se solidariza com a família da criança, informando que encaminhou o caso para as autoridades competentes para que seja feita uma apuração rigorosa dos fatos.”

Três funcionários foram afastados e já foi aberta uma averiguação interna. Por se tratar de um caso com criança envolvida, as informações são sigilosas. O caso está sendo acompanhado pelo Conselho Tutelar e autoridades policiais.