Band Vale

Pai de acusado de tatuar rosto de ex em Taubaté é ouvido pela Polícia Civil

Polícia Civil vai analisar áudios e vídeos de aplicativo de celular para investigar relacionamento

Redação Band Vale 24/05/2022 • 14:41
Polícia Civil investiga caso em que jovem teve rosto tatuado pelo ex
Polícia Civil investiga caso em que jovem teve rosto tatuado pelo ex
Arquivo Pessoal

O pai de Gabriel Henrique Alves Coelho, de 20 anos, suspeito de ter tatuado o rosto da ex em Taubaté, prestou depoimento na Delegacia de Defesa da Mulher de Taubaté nesta terça-feira (24). Gabriel foi preso no sábado após descumprir medida protetiva da ex-namorada, Tayane Cristine, de 18 anos.

A vítima disse que teve o rosto tatuado a força pelo suspeito. O pai de Gabriel, José Luis Alves Coelho, negou as denúncias. 

A delegada que está à frente da investigação, Elisângela Stéfano, afirmou que além dos depoimentos, a Polícia Civil vai analisar áudios e vídeos de aplicativo de celular para investigar o relacionamento entre o casal. 

“A gente já acompanha esse caso desde abril. Inclusive, a vítima tem uma medida protetiva, que foi concedida no dia 20 de abril e o autor foi preso pelo descumprimento dessa medida protetiva”, contou a delegada. 

O boletim de ocorrência foi registrado no último sábado (21) no 1° Distrito Policial de Taubaté. O jovem de 21 anos teve sua prisão temporária convertida em preventiva. Ele deu entrada no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Taubaté no domingo. De acordo com a delegada, as versões são conflitantes. 

Quanto a lesão corporal, isso vai ser apurado no inquérito policial, porque as versões são conflitantes quanto ao consentimento da vítima

A Polícia Civil informou que o relacionamento do casal tinha quatro anos e era tumultuado. 

O caso

Uma jovem de 18 anos denunciou o ex-namorado por tatuar o próprio nome em diversas partes do corpo da vítima, incluindo no rosto. 

De acordo com a mãe, a filha ficou desaparecida por quase 24 horas. A jovem alega que foi levada à força para a casa do rapaz, que teria tatuado o próprio nome no rosto, no peito e na virilha da vítima, e ainda forçado uma relação sexual.

O homem foi preso pela Polícia Militar. A Delegacia de Defesa da Mulher vai investigar o caso.

Segundo informações da família, o relacionamento entre os dois começou em 2019 e durou até o fim do ano passado. O acusado não teria aceitado o término. A mãe também afirma que não foi a primeira vez que o suspeito agrediu a jovem; a filha já tinha medida protetiva contra ele.