Masterchef

Henrique Fogaça faz 48 anos, revela sonhos e reflete: “Sou pai e mais ponderado”

O jurado do MasterChef, da Band, comemora aniversário e lembra a difícil decisão de largar o emprego em um banco pela gastronomia. "Os meus instintos estavam certos", declara o chef, que pretende expandir os negócios nos próximos anos.

Felipe Pinheiro 01/04/2022 • 11:13 - Atualizado em 01/04/2022 • 21:33
Henrique Fogaça comemora aniversário de 48 anos com o sonho abrir novos restaurantes.
Henrique Fogaça comemora aniversário de 48 anos com o sonho abrir novos restaurantes.
Divulgação

Henrique Fogaça chega aos 48 anos nesta sexta-feira (1°) com a mesma energia de quando largou o emprego em um banco para trabalhar com gastronomia. 

Com a passagem dos anos, o empresário do ramo de restaurantes não aposentou o skate – esporte que, inclusive, pratica regularmente. Ao mesmo tempo, ele observa uma grande diferença após se tornar pai. Se o processo de envelhecer gera preocupação?

“Não sou encanado com a idade. O tempo passa rápido, mas o que importa é manter nossa mente jovem. Procuro fazer as mesmas coisas que fazia quando era adolescente, como skate, música, esportes em geral. Obviamente, criamos uma maturidade”, responde.  

Sou pai de família e mais ponderado hoje em dia. Eu me planejo melhor. Criamos uma casca para envelhecer com mais sabedoria.


O jurado do “MasterChef”, da Band, tem três filhos: Olívia, João e Maria Letícia.  

A prioridade do chef
 

Henrique Fogaça ao lado dos filhos, Olívia, João e Maria Letícia


Henrique Fogaça acumula muitos papéis. Empresário, músico e apresentador de TV são alguns deles, mas entre todos eles um é primordial: a paternidade. Para o chef, o maior desafio é permitir que os filhos aprendam com as próprias escolhas, ainda que eles tenham de lidar com dificuldades eventualmente.

“Acredito que uma das partes mais desafiadoras é deixá-los cometer os próprios erros, mas faz parte da evolução dos seres humanos, e portanto dos meus filhos, contrariar os pais e quebrar a cara, pois é assim que se amadurece”, analisa.

Procuro sempre estar próximo e passar valores que acredito serem os melhores para eles.  

 

A virada profissional
 

Henrique Fogaça tinha um emprego estável, mas o amor pela gastronomia falou mais alto e ele tomou a decisão de recomeçar. Ele elege esse momento como o mais difícil da carreira:

“Eu trabalhava em banco, tinha minha renda estável, e fiquei receoso para largar essa estabilidade e seguir algo que parecia incerto. Mas coloquei tudo na balança, e acreditei em mim. Foi um momento um pouco ansioso, mas em pouco tempo pude ver que meus instintos estavam certos”, lembra.  

O paulista de Piracicaba se orgulha do que construiu pela sua determinação em evoluir. “Para mim não existem barreiras, quando acredito em algo, vou até o fim. Além disso, acredito muito no meu trabalho, e isso tudo se reflete na minha vida pessoal também”.  

Sempre temos altos e baixos, por isso é importante sempre estar olhando para frente e criando metas curtas, médias e a longo prazo para alcançarmos nossos objetivos. 


E quais as próximas metas, Fogaça?


O empresário tem dois restaurantes, o Sal Gastronomia e o Cão Véio. Para os próximos anos, ele quer expandir a rede de negócios.

“Gostaria de ter mais restaurantes talvez, um ou dois. É uma missão árdua manter o padrão de um restaurante, e é algo que me motiva”, diz.  

O meu maior sonho é cada vez mais estar evoluindo, estando em paz espiritualmente com tudo que vivemos, tanto no mundo quanto na vida pessoal.