Masterchef

Rebeca celebra conquistas após MasterChef: "Virada de chave na minha carreira"

Primeira eliminada da 5ª temporada do MasterChef Profissionais, Rebeca celebra as oportunidades que conquistou após deixar o programa

Por Aline Naomi

Engana-se quem acredita que o primeiro eliminado de um talent show como o MasterChef não colhe os frutos de sua participação. Rebeca foi a primeira a deixar a 5ª edição com cozinheiros profissionais e, por mais que quisesse mostrar mais de seus talentos no programa, conseguiu abrir muitas portas desde sua saída

"Fui chamada para fazer algumas palestras em faculdades e foi sensacional", começa falando a ex-participante em entrevista exclusiva ao Band.com.br. "Agora estou como personal chef, fazendo vários trabalhos para restaurantes diferentes." 

Ela ainda abraçou outro desafio: dar aulas eletivas de gastronomia a alunos do Ensino Médio no Colégio Imaculado Coração de Maria, no Rio de Janeiro (RJ), o mesmo em que estudou. "É algo muito novo para mim, mas agora já entrou no meu sangue", brinca Rebeca. 

Com tanta notícia boa, Rebeca diz que não se arrepende de ter deixado o antigo emprego para arriscar tudo no MasterChef. "Foi uma oportunidade incrível, foi uma aventura", descreve. "Foi uma virada de chave na minha carreira, algo que me abriu os olhos. Dali em diante, eu me senti como chef de cozinha. Eu ainda não tinha me visto dessa forma." 

Para ela, participar do programa foi uma "aventura louca". Um sonho realizado e eu faria novamente, mas mudando alguns detalhes", afirma. Aproveito para perguntar se ela, ainda assim, faria sua canja de pé de galinha, e Rebeca responde: "Não faria o primeiro prato, faria outra coisa." 

Olhando para o futuro

Rebeca também celebra a importância de ser uma chef de cozinha negra. "Negros em uma posição de chefia não são muito vistos", explica. "É algo desafiador para mim, ter que provar sempre o que eu sou e o que eu sei fazer. É algo bem complicado de se lidar, então me ver nessa posição é uma vitória." 

Para o futuro, Rebeca quer dar mais visibilidade ao seu trabalho como personal chef e se preparar para uma nova aventura: trabalhar na França e aprender mais da cozinha clássica do país. "Esse é um sonho a longo prazo", pontua.  

Essa garra e coragem, segundo Rebeca, veio justamente com a gastronomia. "Antes eu não era assim não, era muito tímida", relembra. "Foi uma virada de chave pessoal, emocional e profissional para mim [trabalhar com gastronomia]." 

Por isso, ela dá um conselho a quem tem vontade de trabalhar na área. "Se você ama mesmo, gosta do que faz, continua nessa caminhada. Ela não é fácil, não é o glamour que mostram no Instagram ou na TV, e siga o que você quer", aconselha a chef.  

Tópicos relacionados