Fórmula 1

Presidente da FIA quer carros da Fórmula 1 mais leves a partir de 2026

Mohammed Ben Sulayem vê impacto positivo na redução de peso de cada carro

Da redação

O presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), Mohammed Ben Sulayem, quer que a entidade assegure carros de Fórmula 1 mais leves a partir de 2026, quando a categoria adotará um novo regulamento.

Em entrevista publicada nesta terça-feira (8) pelo site alemão Motorsport Total, o dirigente argumentou que a redução do peso dos carros tende a beneficiar diversos fatores.

“Eu mesmo disputei ralis. Aceito qualquer coisa, mas por favor, sem carros pesados. Isso sempre me aborreceu”, disse Ben Sulayem, que disputou competições off road entre 1984 e 2002. O dirigente alegou que carros mais leves são melhores, “e eu sei do que estou falando”.

“Se o peso é maior, a suspensão é comprometida, os freios não funcionam também, os pneus se desgastam mais rápido. E quanto mais peso, mais perigoso é um acidente”, acrescentou.

Nas últimas décadas, os carros de Fórmula 1 se tornaram maiores – e, por consequência, mais pesados. O peso limite em 2001 era de 600 kg. Em 2014, era de 691 kg. Em 2023, é de 798 kg, incluindo o piloto.

A F1 chegou a tentar uma pequena redução do limite no fim de 2022, para 796 kg, sem sucesso. Para as equipes, tornar os carros mais leves em 2026 dependerá principalmente da diminuição das dimensões dos bólidos.

De acordo com Mohamed Ben Sulayem, as conversas a respeito de carros de F1 mais leves já começaram dentro da FIA.

“Queremos carros mais leves e queremos um som (dos motores) melhor. Isso, no fim das contas, cabe à FIA. Se Stefano (Domenicali, CEO da Fórmula 1) quiser também, ótimo, concordamos em um ponto. Mas é a FIA quem tem que decidir. Vamos implementar. Não porque a FOM (Formula One Management, subsidiária responsável pela operação da categoria) ou uma equipe quer assim. É porque é a coisa certa para o esporte”, assegurou.

Notícias

Carregar mais