Notícias

Após vencer na Carolina do Sul, Trump mira disputa com Biden

Ao derrotar Nikki Haley por ampla vantagem no próprio estado da concorrente, ex-presidente sequer cita sua única adversária nas primárias republicanas no discurso de vitória. Ela promete continuar na corrida.

Por Deutsche Welle

Após vencer na Carolina do Sul, Trump mira disputa com Biden
Donaldo Trump
REUTERS/Cheney Orr/File Photo

O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, concorreu nas primárias republicanas de sábado (25/02) na Carolina do Sul como favorito e saiu vitorioso sobre a ex-governadora do estado, Nikki Haley.

Trump obteve aproximadamente 60% dos votos, enquanto Haley recebeu cerca de 40%, de acordo com a empresa de pesquisas Edison Research.

"Nunca vi o Partido Republicano tão unificado como agora", disse Trump em um discurso de vitória feito momentos depois do fechamento das urnas.

"Joe, você está demitido"

Ele não mencionou Haley nenhuma vez nos cerca de 30 minutos de discurso. Em vez disso, ele focou na cada vez mais iminente reedição do duelo de 2020. "Estaremos aqui em 5 de novembro. E estaremos olhando para Joe Biden, nós olharemos bem nos olhos dele. Ele está destruindo nosso país. E vamos dizer: 'Joe, você está demitido. Saia daqui.'"

Apesar de ter perdido em seu estado natal, Haley, 52 anos, prometeu continuar na disputa. "Eu disse no início desta semana que, independentemente do que acontecesse na Carolina do Sul, eu continuaria concorrendo... Sou uma mulher de palavra. Não vou desistir dessa luta quando a maioria dos americanos desaprova tanto Donald Trump quanto Joe Biden", afirmou após a votação.

"Quarenta por cento não é um grupo minúsculo", acrescentou Haley. "Há um grande número de eleitores em nossas primárias republicanas que estão dizendo que querem uma alternativa."

Na rota para indicação republicana

O resultado é a quinta vitória consecutiva de Trump durante a temporada de primárias, depois de ele vencer em Iowa, New Hampshire, Nevada e Ilhas Virgens Americanas.

O presidente Joe Biden reagiu ao resultado com uma declaração alertando os eleitores sobre "a ameaça que Donald Trump representa para o nosso futuro enquanto os americanos lidam com os danos que ele deixou para trás".

Eleitores não se abalam com batalhas legais de Trump

Haley passou grande parte da campanha em seu estado natal destacando que Trump, de 77 anos, enfrenta quatro acusações criminais.

Mas quase dois terços (65%) dos eleitores das primárias republicanas disseram que Trump ainda estaria apto para a presidência se fosse condenado por um crime, de acordo com as pesquisas de boca-de-urna.

A mesma porcentagem dos que votaram disse que não acha que o presidente dos EUA, Joe Biden, ganhou legitimamente a presidência em 2016, mostraram as pesquisas.

Em vez das acusações contra Trump, os eleitores disseram aos pesquisadores que estavam mais preocupados com a imigração (41%) e a economia (31%). A política de aborto foi a mais importante para 10% dos eleitores das primárias, e a política externa foi a principal questão para 11%, de acordo com as pesquisas de boca-de-urna.

md (AP, Reuters, AFP)

Tópicos relacionados

Mais notícias

Carregar mais