Notícias

Após deixar legado cultural, Luiz Gama passa a ser reconhecido e homenageado

O advogado lutou pelo fim da escravidão e também virou poeta, escritor e jornalista. Mas o reconhecimento demorou a chegar.

Da Redação, com Band Notícias 18/11/2021 • 23:03 - Atualizado em 18/11/2021 • 23:05

A série “Áfricas do Brasil” descreveu, na quarta-feira (17), como Luiz Gama deixou de ser escravo e se tornou fundamental para a presença de advogados pretos na Justiça brasileira. Na segunda parte do vídeo sobre ele, o destaque é para o poeta, escritor e jornalista Luiz Gama.

No Direito, Luiz Gama ofereceu serviços de graça para centenas de negros escravizados. Na cultura, a obra dele foi escondida e desvalorizada por muito tempo. Mas felizmente foi possível resgatar todo o legado com a ajuda de historiadores. 

E com isso mundo acadêmico abriu as portas para as ideias deste intelectual. A Universidade de São Paulo, que recebeu Luiz Gama em sua biblioteca, fez uma homenagem a ele em 2017: uma sala de faculdade passou a ter o nome de Luiz. 

Um título honoris causa também foi concedido a ele - é o título mais importante concedido a alguém que tenha se destacado por sua contribuição à cultura, à educação ou à humanidade. 

139 anos após sua morte, a voz de Luiz Gama ecoa pelo mundo. Suas ideias semeiam um futuro onde a cor da pele não seja obstáculo para ninguém. E como ele mesmo disse: "uma cor tão semelhante à da terra abriga, sob sua superfície escura, vulcões onde arde o fogo sagrado da liberdade".