Brasil Urgente

Ônibus do PCC: Polícia Civil apresentará pedido de prisão de Sapo e Cachorrão

Os dois são investigados no inquérito do Deic - Departamento Estadual de Investigações Criminais, que apura o envolvimento do PCC na empresa de ônibus Transunião, que atua na zona leste de São Paulo

Giovanna De Boer 04/07/2022 • 17:12
Ônibus do PCC: Polícia Civil apresentará pedido de prisão de Sapo e Cachorrão
Ônibus do PCC: Polícia Civil apresentará pedido de prisão de Sapo e Cachorrão
Reprodução

A Polícia Civil de São Paulo vai apresentar à Justiça um novo pedido de prisão preventiva para Devanil Souza e Jair Ramos de Freitas. Os dois são investigados no inquérito do Deic - Departamento Estadual de Investigações Criminais, que apura o envolvimento do PCC na empresa de ônibus Transunião, que atua na zona leste de São Paulo.

A defesa dos réus apresentou um habeas corpus que foi conhecido pela Justiça para a soltura. Sapo e Cachorrão, como são conhecidos, foram soltos na última sexta-feira e vão responder em liberdade pelo homicídio de Adauto Soares Jorge, ex-diretor da empresa Transunião.

A decisão de revogar a prisão dos dois suspeitos foi de um juiz que acolheu um parecer do Ministério Público. Na manifestação, o promotor afirma que a prisão temporária tem o objetivo de auxiliar a investigação e que já foram cumpridos mandados de buscas nas residências dos investigados e que não vê necessidade de manutenção das prisões.

Os agentes do Deic estavam próximos de conseguir uma delação premiada com Devanil Souza, o Sapo, que não tem antecedentes criminais. Com o acordo que seria feito com os agentes, Devanil conseguiria reduzir alguns anos de prisão se colaborasse com as investigações.

Crime

O crime aconteceu em março de 2020. Na ocasião, Devanil era o motorista do vereador Senival Moura. Ele teria atraído Adauto, diretor da Transunião, na época, para uma emboscada para ser morto por Jair.

Senival Moura é apontado como um dos suspeitos de participação no assassinato. A polícia já sabe que o vereador entrou 13 ônibus para o crime organizado para se livrar de uma dívida com a facção.