Notícias

Faustão passa por transplante de rim em São Paulo

Nota do Hospital Albert Einstein informa que o apresentador precisou passar pelo procedimento após agravamento de doença renal crônica

Da redação

Faustão passa por transplante de rim em São Paulo
Faustão passa por transplante de rim em São Paulo
Renato Pizzutto/Band

O apresentador Fausto Silva passou por um transplante de rim nesta segunda-feira (26). Ele estava internado desde o último dia 25 para se preparar para a cirurgia. Segundo nota do Hospital Albert Einstein desta terça-feira (27), o comunicador passou pelo procedimento devido a um agravamento de doença renal crônica. 

Na nota, a equipe que cuida de Faustão informou que ele agora segue em “observação para acompanhamento da adaptação do órgão e controle clínico”. Ele passou pela cirurgia após o Einstein acionar a Central de Transplantes do Estado de São Paulo e realizado a avaliação sobre a compatibilidade do órgão doado.

A nota médica foi assinada pelos médicos Marcelino Durão, nefrologista e coordenador médico de transplante renal do Hospital Albert Einstein, Sérgio Ximenes, urologista e membro da equipe de transplante renal do Hospital Israelita, Fernando Bacal, cardiologista do Hospital Israelita Albert Einstein e Miguel Cendoroglo Neto, diretor médico de serviços hospitalares e prática médica do Hospital Israelita Albert Einstein. 

Faustão passou por transplante de coração em 2023

Em agosto do ano passado, o apresentador passou por um transplante de coração devido a uma insuficiência cardíaca. A cirurgia demorou ao menos 2h30 e ele teve pronta recuperação. 

Campanha da Band

O Grupo Bandeirantes acredita que a solidariedade salva. Por isso, no dia 21 de agosto, lançou a campanha "Doe órgãos, Doe vida", uma conscientização para a doação de órgãos e tecidos.

Todos os dias, inúmeras vidas estão em jogo, esperando uma segunda chance que só pode vir de um ato de generosidade. Converse com a sua família sobre o assunto. Só ela pode autorizar esse ato. Veja mais informações no site do Ministério da Saúde.

O Brasil tem o maior sistema público de transplante de órgãos do mundo, além de ser o segundo maior transplantador, atrás apenas dos Estados Unidos. A estrutura é gerenciada pelo Ministério da Saúde, responsável pela garantia de 90% das cirurgias por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Há uma integração com todas as 27 centrais estaduais.

Segundo o Ministério da Saúde, atualmente, há 617 hospitais e 1.495 equipes autorizados a realizarem transplantes no Brasil. Uma delas é liderada pelo médico Lúcio Pacheco, especialista em transplante de fígado. As etapas para um transplante acontecer são as seguintes:

  • inclusão do paciente na lista nacional de transplantes pelo médico autorizado;
  • acompanhamento da posição na fila pelos canais oficiais do governo;
  • passar pelo procedimento caso haja o órgão compatível e a posição na fila seja favorável.

Sistema de transplante no Brasil

O Sistema Nacional de Transplantes (SNT) funciona por ordem cronológica de cadastro, mas há prioridades em meio à fila, a depender dos critérios que o paciente preenche. Com isso, a cirurgia só ocorre de acordo com necessidades médicas, o estágio de gravidade da insuficiência cardíaca, tipo sanguíneo e outras especificidades.

A compatibilidade genética é fator importante na decisão de quem receberá o órgão e o tempo de isquemia, o tempo de duração do órgão fora do corpo. No caso, a demora do transporte do órgão da origem até o transplante.  

Crianças são prioridade ao concorrerem na fila com adultos, seja pelo doador também ser criança, ou por estarem diretamente concorrendo com mais velhos. 

Tópicos relacionados