Notícias

Confira os destaques do último dia de desfiles do Grupo Especial na Sapucaí

Passaram pela Avenida: Mocidade de Padre Miguel, Portela, Vila Isabel, Mangueira, Paraíso do Tuiuti e Viradouro

Por Gabriela MorgadoVinicius FernandesPedro DobalJoão BoueriFernanda CaldasGiovanna Faria

Alcione é homenageada pela Mangueira
Alcione é homenageada pela Mangueira
Alexandre Vidal, Dhavid Normando, Sad Coxa e Vítor Melo/Rio Carnaval
Topo

A Unidos do Viradouro fechou o Grupo Especial 2024 com um desfile que pode levar o título de campeã com o samba-enredo “Arroboboi, Dangbé”, que homenageia as energias do culto ao vodum.

O carnavalesco Tarcísio Zanon apostou nas cores neon e iluminação cenográfica para apresentar duas experiências nas mesmas alegorias e comissão de frente. 

Quem também fez história na Marquês de Sapucaí, nesta segunda-feira (12), foi a Mocidade Independente de Padre Miguel trouxe a Carmem Miranda camuflada na arquibancada em três partes do desfile como parte da atuação da comissão de frente. O público vibrou durante todo o desfile com o samba-enredo “Pede caju que dou… Pede caju que dá” com a letra ecoando em todos os setores. 

A Portela pode perder pontos na categoria de evolução, já que teve problemas com o carro abre-alas tanto na entrada como na área da dispersão. 

No entanto, a comissão de frente coreografada por Léo Senna e Kelly Siqueira emocionou o público. Kelly fala da importância de trazer o sagrado feminino para a Avenida. 

A cantora Alcione também marcou o segundo dia de desfiles do Grupo Especial, sendo a homenageada pela Mangueira. O desfile contou toda a vida e repertório da cantora. No entanto, o terceiro carro já entrou na Avenida com a cabeça da alegoria quebrada e com um componente tendo que segurar a estrutura o tempo inteiro. Na área da dispersão, um dos carros quebrou e duas pessoas caíram. As vítimas tiveram suspeitas de fraturas e foram encaminhadas para o Hospital Municipal Souza Aguiar. 

A Paraíso do Tuiuti não animou no desfile e entrou de forma lenta na Avenida. Os carros tiveram dificuldades ao longo das apresentações, o que causou buracos em diversas alas. 

Para trazer a esperança, a Vila Isabel apostou no coração infantil na comissão de frente. O desfile foi ao som de uma reedição do enredo de Martinho da Vila de 1993, que ainda comemorou o aniversário no esquenta da bateria.

A apuração das notas do Carnaval deste ano vai ser na quarta-feira (14), com transmissão da BandNews FM.

CONFIRA A TRANSMISSÃO NA ÍNTEGRA

MOCIDADE INDEPENDENTE DE PADRE MIGUEL 

A Mocidade é a cara do Brasil! O samba “Pede caju que dou… Pé de caju que dá” foi o mais cantado na segunda noite de desfiles do Grupo Especial do carnaval carioca. 

E para contar a história do fruto, teve referência a Carmem Miranda, floresta e até bailarina da comissão de frente na arquibancada. A escola fez uso da iluminação teatral do Sambódromo e levou para a Avenida alegorias e fantasias bem coloridas.

O intérprete Zé Paulo Sierra também levou cor na própria roupa e até no cabelo e disse ter ficado emocionado com a repercussão do samba.

PORTELA  

Segunda escola a entrar na Sapucaí no último dia de desfiles do Grupo Especial, a Portela não conseguiu empolgar a Passarela do Samba e ainda pode perder pontos no quesito evolução. 

A escola teve dificuldade para acoplar a última parte do carro abre-alas, que também demorou a sair da Avenida, prejudicando o andamento do desfile. 

O enredo celebrou a ancestralidade negra feminina a partir de uma homenagem a Luísa Mahim, a mãe do patrono da abolição da escravatura no Brasil, Luiz Gama. 

Aos 91 anos, o sambista Noca da Portela comemorou seis décadas na azul e branco de Madureira. Ele desfilou em uma cadeira de rodas e brincou que estava descumprindo orientação médica.

VILA ISABEL  

A Vila Isabel reeditou um enredo de 1993 que narra a viagem das crianças ao templo da criação, para que pudessem salvar o mundo da destruição causada pelos homens.

Com samba de Martinho da Vila, a escola fez um desfile bonito, com um carro abre-alas que representava um incêndio: a alegoria chegou a soltar fumaça, dando um efeito realista.

Tauã, de apenas 15 anos, foi uma das crianças que participou da comissão de frente, mas contou que essa não foi a primeira vez que desfilou no Carnaval.

MANGUEIRA 

As duas pessoas que ficaram feridas após cair do último carro alegórico da Estação Primeira de Mangueira onde Alcione estava foram transferidas para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio, com suspeitas de fraturas. 

O desfile da Mangueira foi marcado pela homenagem a Alcione, de 76 anos, que se emocionou e entoou o samba-enredo da escola nos primeiros minutos.

A Mangueira desponta como uma das favoritas a voltar no próximo sábado (17), no desfile das Campeãs.

Alcione desfilou sentada em um trono no último carro “Meu Palácio tem Rainha”.

Durante a transmissão, o carnavalesco Guilherme Estêvão comentou o problema com a terceira alegoria da escola, que também prestava homenagem à Alcione.

PARAÍSO DO TUIUTI

Paraíso do Tuiuti pode perder pontos de evolução durante a apuração das notas do Grupo Especial do Carnaval do Rio.

A escola de samba do bairro de São Cristóvão, na Zona Norte da capital fluminense, é uma das candidatas ao rebaixamento.

A agremiação homenageou o líder da Revolta de Chibata, João Cândido. 

No entanto, o presidente do Paraíso do Tuiuti, Renato Thor, não reconheceu os problemas durante o desfile.

VIRADOURO

A Unidos do Viradouro encerrou as apresentações do Grupo Especial do Carnaval carioca com um desfile candidato ao título. 

Sem erros aparentes, a escola conseguiu completar com sucesso o desafio de traduzir na Avenida o enredo sobre a energia do culto ao vodum serpente. A devoção teve início na região da Costa da Mina, atual Benim, e veio ao Brasil por meio da sacerdotisa Ludovina Pessoa, que ajudou a fundar o candomblé Jeje na Bahia.

Emocionado, o carnavalesco Tarcísio Zanon elogiou o canto da comunidade e do público. Ele diz que está confiante no título. 

Um dos destaques positivos foi o uso de cores que se tornavam fluorescentes quando a luz principal da Sapucaí se apagava. A comissão de frente ainda trouxe uma grande serpente que se movia entre os dançarinos. 

A apuração das notas do Carnaval deste ano vai ser na quarta-feira (14), com transmissão da BandNews FM.

Tópicos relacionados