Notícias

Homem que fingia ser entregador de apps para fazer assaltos é preso no Rio

Ygor da Silva Gomes fazia uso de tornozeleira eletrônica e roubava pedestres na Zona Sul da capital fluminense

Por Carlos Briggs

O bandido foi flagrado por policiais militares do Batalhão de Botafogo
O bandido foi flagrado por policiais militares do Batalhão de Botafogo
Reprodução/PM
Topo

Um falso entregador do Ifood, que faz uso tornozeleira eletrônica, volta a ser preso horas após ir ao Tribunal de Justiça para assinar um compromisso de comparecer em juízo para cumprir medidas cautelares.

Ygor da Silva Gomes, de 23 anos, já era monitorado pelo Batalhão da Polícia Militar de Botafogo, na Zona Sul do Rio. Só nesta semana, ele foi flagrando em câmeras de segurança de estabelecimentos da região, roubando pedestres em, pelo menos, duas situações.

O subcomandante da unidade responsável, que foi responsável pela prisão do acusado, major Alex Palagar, afirmou que o criminoso foi detido no momento que que se preparava para um dia de assaltos.

Ygor da Silva Gomes é morador da comunidade Santo Amaro, no Catete, também na Zona Sul. Ele agia sempre da mesma forma: com camisa e a mochila de entrega do Ifood. A ideia era não levantar suspeitas e assaltar pedestres na região.

Ao perceber a aproximação dos policiais militares, o acusado tentou fugir. Houve perseguição e o criminoso acabou preso, na entrada do Túnel Marcello Alencar.

A taxista da rádio BandNews FM, Vanessa Moura, passou pelo local, no momento da prisão.

Ygor da Silva Gomes, de 23 anos, tem passagens pela polícia por homicídio, porte de droga e roubo. 

Na última segunda-feira, ele foi flagrado, por câmeras de segurança, roubando o cordão de um homem, na Avenida Marquês de Abrantes, no Flamengo. No dia anterior, Ygor Gomes foi visto abordando um casal na Praia do Flamengo.

Em nota, o iFood disse que repudia qualquer tipo de conduta de terceiros que se passam por entregadores e que, desde 2022, trabalha em parceria com diferentes Secretarias de Segurança Pública para disponibilizar suas tecnologias na identificação dos criminosos pela polícia, além de investir constantemente para oferecer maior segurança no aplicativo.

Tópicos relacionados