Notícias

Suspeito de matar galerista americano Brent Sikkema planejou o crime por um ano

Segundo a Polícia Civil, o cubano Alejandro Prevez esteve na casa da vítima, no Jardim Botânico, Zona Sul do Rio, outras duas vezes

Por João Videira (sob supervisão)

Galerista Brent Sikkema foi morto na própria casa em janeiro
Galerista Brent Sikkema foi morto na própria casa em janeiro
Reprodução
Topo

O homem suspeito de matar a facadas o galerista americano Brent Sikkema planejou o crime por um ano.

Segundo a Polícia Civil, o cubano Alejandro Prevez esteve na casa da vítima, no Jardim Botânico, Zona Sul do Rio, outras duas vezes.

Nas ocasiões, ele teria enviado fotos para o ex-marido de Brent, Daniel Carrera, suspeito de encomendar o crime.

De acordo com os investigadores, há indícios de que a principal motivação seja o desentendimento Brent e Daniel sobre o pagamento de herança após o americano decidir que seu ex-marido não seria mais beneficiário.

Brent destinou US$ 1 milhão ao primeiro ex-marido e o resto do montante para o filho. No entanto, Daniel pediu US$ 6 milhões por já ter sido casado com ele.

Em novas imagens que vieram a público no caso, Alejandro Triana Prevez também foi flagrado manuseando uma arma besta.

Nos primeiros segundos de um vídeo que trouxe novas informações às investigações, Alejandro opera o armamento. Em seguida, ele estica o arco e coloca a flecha.

No entanto, Alejandro não utilizou a arma besta para matar Brent. Ele teria cometido o crime com uma faca.

Brent Sikkema foi encontrado morto em janeiro deste ano, com 18 facadas em seu próprio apartamento. 

Tópicos relacionados