Notícias

Sete criminosos são mortos durante as operações, desta terça-feira, no Rio

PM realiza uma grande operação para prender chefes da facção Comando Vermelho nos Complexos do Alemão e da Penha, na Zona Norte

Por Daniel Henrique

Oito criminosos são baleados durante operação operação da Polícia no Rio
Oito criminosos são baleados durante operação operação da Polícia no Rio
Reprodução

Sete criminosos são mortos, quatro ficam feridos, três presos e outros dois adolescentes são apreendidos durante confronto com policiais militares em diferentes pontos do Rio nesta terça-feira (27), em uma grande operação para prender integrantes da facção Comando Vermelho nos Complexos do Alemão e da Penha, na Zona Norte. A ação se estendeu a outras comunidades da Região Metropolitana do Rio. Dois agentes também ficaram feridos.  

Ainda durante a madrugada, criminosos armados que saíam do Complexo da Penha em direção à Comunidade do Trio de Ouro, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, entraram em confronto com policiais na Avenida Automóvel Clube. Os quatro bandidos que estavam em um carro roubado foram feridos no tiroteio e levados à UPA de Jardim Íris, mas não resistiram.

Na Penha, um policial do Batalhão de Choque foi atingido no braço durante o confronto e levado ao Hospital Central da Polícia Militar, no bairro do Estácio. Um agente do Batalhão do Méier também foi atingido por estilhaços e socorrido ao Hospital Municipal Salgado Filho. Ambos têm quadro de saúde considerado estável.

Por causa do intenso tiroteio, funcionários da Viação Nossa Senhora de Lourdes precisaram se abrigar na garagem de ônibus da empresa, que fica na Penha. A saída de pelo menos 15 linhas foi afetada e houve atraso.

O Porta-Voz do Rio Ônibus, que representa as empresas de ônibus do Rio, Paulo Valente, lamentou o episódio.

"15 linhas de ônibus tiveram a operação comprometida e 130 mil usuários foram diretamente afetados em seus deslocamentos. O Rio Ônibus repudia e lamenta mais um episódio em que rodoviários e passageiros cariocas tiveram seu direito de ir e vir prejudicado."

Na Comunidade da Flexal, em Inhaúma, na Zona Norte, quatro criminosos foram atingidos em confronto. Três deles não resistiram.

Já na Comunidade Nova Brasília, no Complexo do Alemão, três suspeitos ficaram feridos após confronto com policiais do BOPE. Em uma área de mata da comunidade, os agentes encontraram e desmontaram um acampamento utilizado pelos criminosos, como uma espécie de ponto de apoio.

Na Comunidade do Quitungo, os policiais encontraram um ponto de venda de drogas e apreenderam dois adolescentes.

As ações desta manhã também ocorrem no Engenho da Rainha, Juramentinho e IPASE, em Vicente de Carvalho, no Guaporé e Tinta, em Brás de Pina e Cordovil, e na Cidade de Deus, em Jacarepaguá, na Zona Oeste.

Desde o início da madrugada, algumas páginas em redes sociais avisavam sobre a operação. No entanto, segundo o Secretário de Polícia Militar do Rio, coronel Luiz Henrique Marinho Pires, a corporação descarta que tenha ocorrido o vazamento da operação antes do início.

"Nós fizemos uma grande mobilização de efetivo durante toda a madrugada, durante toda a noite. E é normal que esse monitoramento pelas comunidades aconteça em relação a movimentação da Polícia Militar. Então a gente entende que não houve vazamento pelo intenso confronto que nós tivemos em algumas regiões dessas operações. Mas a movimentação foi muito grande e isso, com certeza, desperta a atenção das diversas comunidades que a gente tem no Rio de Janeiro."

Motoristas que estavam indo para o trabalho se assustaram com a movimentação de policiais e criminosos em vias do entorno do Complexo da Penha.

Criminosos atearam fogo em diversos carros nas entradas das comunidades, o que dificultou o acesso dos policiais. Ao todo, foram apreendidos sete fuzis, três pistolas e uma grande quantidade de drogas. Dois carros e uma moto roubados também foram recuperados.

16 escolas municipais foram impactadas no Complexo da Penha e 20 no Alemão, deixando mais de 12 mil alunos sem aulas.

Tópicos relacionados