Notícias

PM acusado de matar morador da Maré vira réu e Justiça mantém prisão preventiva

O cabo Carlos Eduardo Gomes dos Reis teria atirado em Jeferson Motta, de 22 anos, à queima-roupa

Por Pedro Dobal

Vídeos gravados por testemunhas mostram a ação do PM
Vídeos gravados por testemunhas mostram a ação do PM
Reprodução/Redes Sociais

A Justiça do Rio torna réu, por homicídio qualificado, o policial militar acusado de atirar à queima-roupa e matar um morador da favela da Maré, na Zona Norte do Rio, no início do mês. 

Na decisão, a juíza Tula Correa de Melo também manteve a prisão preventiva do cabo Carlos Eduardo Gomes dos Reis. 

Jeferson Motta, de 22 anos, foi baleado na esquina da Avenida Brasil com a Rua Teixeira de Freitas quando moradores protestavam contra uma operação da corporação no horário de saída dos alunos das escolas da região.

Vídeos gravados por testemunhas mostram o PM se aproximando e disparando a uma distância de menos de um metro, sem que o jovem demonstrasse qualquer reação. 

O policial disse, em depoimento, que o disparo foi acidental, mas a juíza entendeu que o agente sabia do risco extremo de disparo e morte ao apontar a arma engatilhada e com o dedo pronto para dispará-la.

A decisão ainda determina a apreensão das imagens das câmeras corporais dos PMs que participaram da ocorrência.

Tópicos relacionados