Notícias

Rompimento de adutora em Campo Grande afetou 12 casas e oito lojas

A Rio+Saneamento afirma que já cadastrou os moradores afetados e fez um levantamento dos danos causados para ressarcimento

Por Pedro Dobal

 Rompimento de adutora em Campo Grande afetou 12 casas e oito lojas
Rompimento de adutora em Campo Grande afetou 12 casas e oito lojas
Reprodução/Redes Sociais
Topo

Após vistorias, a Defesa Civil Municipal afirma que não encontrou danos estruturais nos imóveis atingidos pelo rompimento de uma adutora em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, na tarde de quinta-feira (30).

Segundo a concessionária Rio+Saneamento, doze casas e oito lojas foram inundadas na Rua Carobinha, mas todos os imóveis já foram limpos. A empresa afirma que já cadastrou os moradores afetados e fez um levantamento dos danos causados para ressarcimento. Segundo a Prefeitura, pelo menos um carro e duas motos também foram destruídos.  

O comerciante Anderson Vicente tem uma loja ao lado do local do rompimento e perdeu quase todos os produtos. O prejuízo é de mais de 60 mil reais.  

O superintendente de operações da Rio+Saneamento, Marcelo Luiz Luvisotto, afirma que não há um prazo para o fim dos trabalhos. 

O presidente da Associação de Moradores da região, Sandro Eduardo, lembra que outra tubulação se rompeu no bairro há quatro anos.  

O subprefeito da Zona Oeste, Diogo Borba, destaca que a região tem muitas adutoras e algumas casas foram construídas em cima das estruturas.

O abastecimento não chegou a ser impactado na região, mas parte de Campo Grande e outros nove bairros da Zona Oeste já estavam com o fornecimento reduzido desde terça-feira (28) devido ao rompimento de outra adutora em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Em nota, a concessionária Águas do Rio disse que não há indícios de relação entre os rompimentos em Nova Iguaçu e em Campo Grande.

Tópicos relacionados