Faustão na Band

Dança das Feras: Confira tudo o que rolou no primeiro dia de apresentações

Casais de dançarinos profissionais levaram o público para uma viagem com ritmos do mundo

Da Redação 26/01/2022 • 22:31 - Atualizado em 26/01/2022 • 22:46
Dança das Feras estreou nesta quarta com apresentações no Faustão na Band
Dança das Feras estreou nesta quarta com apresentações no Faustão na Band
Reprodução/Band

A primeira rodada da Dança das Feras foi um verdadeiro show de arte coreográfica no Faustão na Band desta quarta-feira, 26. Os dançarinos profissionais levaram o público para uma viagem por diferentes ritmos de dança do mundo.

O time de jurados formado pelos técnicos JC Violla e Ju Valcézia, e pela jornalista da Band Cynthia Martins e o cantor Vitor Kley, avaliou as apresentações da noite.

As duas primeiras edições, nos dias 26 de janeiro e 2 de fevereiro, não eliminam duplas – as eliminatórias começam só a partir da terceira semana. Na próxima semana, os casais apresentam ritmos brasileiros no palco.

Nathália Ramos e Denis Dinelle

Primeiro casal a se apresentar na competição, os dançarinos trouxeram todo o calor do Flamenco, ritmo tradicional da Espanha, com forte ligação com as touradas e desfiles militares.

Segundo os jurados técnicos, os bailarinos foram muito expressivos e com acabamento dos passos "perfeitos". JC Violla sentiu falta de os casais ocuparem mais o espaço do palco e da presença do sapateado, muito tradicional nesse ritmo.

O cantor Vitor Kley destacou a energia da dança do casal: “Eu já conhecia dança, gosto muito desses tons de violão, fiquei muito feliz, gostei do olhar de vocês dois um pro outro. A imagem ficou maravilhosa”, frisou.

Paula Santos e Daniel Northon

Com o envolvimento do Kuduru, os dançarinos trouxeram o ritmo angolano para o palco do Faustão na Band com o hit 'Danza Kuduru". O gênero é uma mistura de ritmos folclóricos angolanos com elementos eletrônicos.

A jornalista Cynthia Martins exaltou a semelhança do ritmo africano com a música brasileira: “A reação do público mostra que se aproxima muito do que a gente tem aqui no Brasil, que nasceram de negros e africanos. Eu sou de Madureira, cresci vendo as pessoas dançarem com esses movimentos, então eu adorei”, disse.

Durante a apresentação, um acessório do figurino de Paula Santos caiu no palco, e a jurada Ju Valcézia pontuou que essa é uma cena comum, e que o casal se saiu muito bem: "“Se cai um acessório a gente não pode deixar a peteca cair", disse.

Yanca Guimarães e Vini Nascimento

O terceiro casal a se apresentar levou o público para uma viagem à Índia. A dança clássica indiana tem uma variedade de ritmos, e segundo o jurado JC Violla, os bailarinos apresentaram uma versão do que é feito em Bolywood, o cinema indiano.

Ju Valcézia ficou impressionada com a apresentação: "Eu amei. A energia de vocês tava muito boa, o início foi até hipnótico. Gostei muito da movimentação, muito criativa, foi interessante como vocês usaram o palco”, frisou.

A parte inicial da apresentação do casal foi o que mais impressionou Vitor Kley e Cynthia Martins, momento em que o casal fez uma cena de sincronia precisa. "Beirou o espiritual, e a importância da caracterização, ela me lembrou várias vezes personagens do filme do Aladim”, disse a jornalista.

Barbara Brito e Rafael Leal

O clássico tomou conta do palco com a apresentação do Foxtrote, numa verdadeira viagem no tempo aos Estados Unidos da década de 1930. O gênero é um dos mais populares entre as danças de salão.

Vitor Kley adorou a música, e se sentiu dentro de um filme romântico: "o momento do arranjo de corda da música, na leveza dos braços. Eu me diverti demais, o palco estava flutuando e eu junto", disse.

Ju Valcézia elogiou o carisma de Rafael Leal, mas destacou um deslize do casal: "Movimentos de braço perfeitos. Eu só acho que em um momento, na descida de uma pegada, vocês se desencontraram um pouco", frisou.

Bruna Santos e Elcio Bonazzi

O clima do palco esquentou com toda a potência latina na apresentação do Merengue. O ritmo tem como principais características a presença forte de instrumentos do naipe de metais e pelos arranjos rápidos.

Cynthia Martins destacou a importância de conhecer culturas diferentes do mundo através da dança: "O mais legal está sendo mergulhar nas culturas dos países, e os ritmos nascem todos de maneira marginalizada. Eles fizeram a gente mergulhar na dança e na cultura”.

JC Violla sentiu falta de mais movimentos nos quadris dos bailarinos, uma das principais características do ritmo: "É muito gostoso de ver, mas pelo merengue, faltou movimentação", concluiu.

Bia Michelle e Heron Leal

A tradicional valsa também marcou presença no Dança das Feras. Nascida na Áustria no século XVI, o ritmo se popularizou nos séculos seguintes e é marcante até hoje em casamentos e festas de debutante.

“Eu me senti na Disney. Usaram muito bem o espaço, se saíram muito bem como bailarinos clássicos, tudo muito bem trabalhado”, disse a jurada Ju Valcézia sobre a apresentação.

Vitor Kley também se sentiu parte da dança do casal: "“Teve um momento ali do giro, e foi perfeito, eu fiquei impressionado com a leveza, de me levarem pra dentro da parada”.

Bárbara Perbone e Derik Salles

O último casal a se apresentar transformou o palco do Faustão na Band numa vila italiana. A Tarantella é tradicional no sul da Itália, e conta com instrumentos como bandolins, acordeons, tamborins e flautas.

Cynthia Martins novamente destacou como o ritmo é próximo da cultura brasileira: "É uma dança nascida tão longe de nós, e que ao mesmo tempo é tão próxima. Eu acho que vocês trouxeram essa proximidade para o público", pontuou.

Notas

Os jurados e o auditório deram notas para cada umas das apresentações da noite. Veja abaixo como ficou a classificação:

Bia e Heron - 45,5

Yanca e Vini - 45,5

Bárbara Britto e Rafael - 45,0

Nathália e Dennis - 44,0

Bruna e Élcio - 43,5

Paula e Daniel - 43,5

Bárbara Perbone e Derik - 42,5