Masterchef

O que é tucupi? Chef lista 5 ingredientes do Norte para adicionar ao cardápio

Convidado do 18º episódio de MasterChef, o chef Felipe Schaedler lista ingredientes amazônicos que precisam entrar na lista de compras

Stefani Sousa 05/11/2021 • 13:31 - Atualizado em 05/11/2021 • 13:56
Camarão na brasa, pirão de tucupi, cogumelo, ora-pro-nobis e pimenta baniwa, do restaurante Banzeiro, do chef Felipe
Camarão na brasa, pirão de tucupi, cogumelo, ora-pro-nobis e pimenta baniwa, do restaurante Banzeiro, do chef Felipe
João Paulo Faria/Restaurante Banzeiro

MasterChef também é conhecimento e, no episódio da última terça-feira (2), o público aprendeu muito com Felipe Schaedler, especialista em culinária amazônica. Convidado da prova de eliminação, o chef levou ao programa sabores únicos e especiais do Norte, grande parte originários de tribos indígenas

São ingredientes que merecem entrar no cardápio do Brasil em todas as regiões. É por isso que, ao Band.com, o cozinheiro lista 5 itens essenciais para transformar várias receitas. A dica, segundo ele, é unir os produtos com técnicas já conhecidas pelo universo da gastronomia, criando uma experiência única, “algo que as pessoas nunca comeram”. Vale lembrar, também, que menos é mais: “Um único ingrediente pode ser perfeito para fechar um prato e fazer algo excepcional.”

Veja lista de ingredientes abaixo:  

 

1- Tucupi  

“O tucupi, em uma explicação bem simples, é o suco da mandioca ferventada. A gente processa o alimento, depois espreme. O bagaço vira farinha e o sumo dela é fermentado e transformado no tucupi. Ele é ácido, pode ser usado em vários preparos, até em marinada de temperos, por exemplo. É muito especial.”  
 

2- Cogumelo Yanomami 

"A maior concentração desse cogumelo fica nas terras Yanomamis, aqui no Brasil. Não é algo que no Japão eles comem, por exemplo. Além do sabor e do valor gastronômico, consumir esse produto salva vidas. Os índios coletam os cogumelos na floresta, em uma enorme área de preservação. Aí existe uma ONG, o Instituto Socioambiental (ISA), que converte o dinheiro arrecadado na venda para a necessidade das tribos. É uma troca e o principal apoio é em saúde básica, ajudando a combater a mortalidade infantil."  

3- Pimenta Baniwa 

"É picante, aromática, tem um sabor muito interessante e complexo, com especiarias. Além disso, é em pó e dura muito tempo. Na composição, as tribos utilizam 36 tipos de pimenta, que elas mesmas cultivam, secam no sol e depois amassam até virar pó. Para finalizar, adicionam cerca de 10% de sal. Esse também é um projeto do ISA, que descobriu a potência da pimenta dos índios e viabilizou a venda. Elas são distribuídas no Brasil inteiro, até mesmo em supermercados."

4- Farinha de Uarini 

“É uma farinha de mandioca fermentada, muito saborosa e versátil, produzida na região de Uarini, no Amazonas. Ela é redondinha, tipo ‘ovinhas’ de peixe e dá pra fazer empanado, cuscuz, farofa. Ela aceita várias processos.”  

5- Tambaqui 

“É o peixe mais emblemático da Amazônia. O pirarucu é maior, tem o charme dele, é incrível. Mas o tambaqui é um peixe que até quem não gosta de peixe, come e fala que é diferente. Tem textura, sabor, aceita bem a brasa, pode ser frito e fica crocante, em caldos é muito saboroso. Além de ser um dos peixes com maior relevância no Norte, combina muito bem com todos os ingredientes que já citei.”